Flamengo cede volante do sub-20 e deve negociar mais crias do Ninho; relembre quem já partiu em 2020


A seguir com Jorge Jesus no comando técnico da equipe principal, o Flamengo tem visto um número considerado de crias do Ninho do Urubu partirem para um rumo distante do clube. Nesta semana, por exemplo, Matheus Alves tornou-se o oitavo jovem com idade relativa ao profissional a entrar neste recorte em 2020.

O Flamengo informou que o volante do sub-20 assinará com o Leixões, de Portugal, mas que o Rubro-Negro mantém 50% dos direitos econômicos do atleta, que assinou por três anos com o clube europeu.

Além de Matheus Alves, sete garotos, de 18 a 21 anos, ou seja, idade de transição do juniores para o profissional, deixaram o Flamengo este ano, seja por empréstimo (com passe fixado) ou venda. São eles: o goleiro Yago Darub (Red Bull Brasil), o zagueiro Rafael Santos (Apoel), os meio-campistas Luiz Henrique (Fortaleza) e Reinier (Real Madrid) e os atacantes Bill (CRB), Yuri César (Fortaleza) e Vitor Gabriel (Braga).



Matheus Alves
Matheus Alves
Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Matheus em ação pela base do Fla (Foto: Divulgação/Flamengo)

Dos supracitados, três rumaram à Europa: Reinier, maior promessa do clube após a saída de Vinícius Júnior e também vendido ao Real, por R$ 136 milhões, Rafael Santos, emprestado ao Apoel até maio de 2022, e Vitor Gabriel, cedido ao ao Braga, de Portugal, por um ano. Os dois últimos têm valor de mercado na casa dos 200 mil euros e 50 mil euros, respectivamente, de acordo com o site especializado em valores Transfermarkt.

O Flamengo ainda busca enxugar mais o elenco profissional e conta com a saída de outros atletas nesta faixa etária. Matheus Dantas, Hugo Moura e Vinicius Souza, Pepê e Lucas Silva, todos com a idade estourada para o sub-20, são outros crias do Ninho que podem ser negociados em breve.

Além de dar rodagem a jogadores que considera promissores para o futuro, como Yuri César, o Fla visa afrouxar a folha salarial e equilibrar as finanças, principalmente com os recentes gastos envolvendo a permanência de Jesus e os naturais prejuízos ocasionados pela pandemia do novo coronavírus.





Leia também