Flamengo avança, encara Palmeiras na final e amplia hegemonia do Brasil na Libertadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Flamengo confirmou seu favoritismo e mais uma final brasileira na Copa Libertadores. Na noite de quarta-feira (29), a equipe rubro-negra contou com gols de Bruno Henrique para vencer o Barcelona (EQU) por 2 a 0, em Guayaquil, e avançar à decisão contra o Palmeiras, em 27 de novembro, em jogo único marcado para Montevidéu, no Uruguai.

Foi tranquila a classificação da formação carioca, que já havia ganhado a partida de ida por 2 a 0. Na outra semifinal, o time alviverde teve maiores dificuldades e avançou na terça (28) em um empate por 1 a 1 com o Atlético-MG, em Belo Horizonte -o primeiro duelo terminara em 0 a 0, e a vaga foi decidida no critério do gol fora de casa.

Assim, a Libertadores terá uma final entre equipes do mesmo país pela quinta vez na história, quatro delas entre brasileiros. Na última edição, o Palmeiras, agora vivo na defesa do título, derrotou o Santos para levantar o troféu no Maracanã, no Rio de Janeiro. Como o Flamengo foi o campeão de 2019, a taça ficará no Brasil pelo terceiro ano seguido.

Antes da decisão de 2020 -realizada já em 2021, por causa da pandemia do novo coronavírus-, brasileiros já haviam decidido a competição duas vezes. Em 2005, o São Paulo superou o Atlético Paranaense, atual Athletico. Em 2006, o clube do Morumbi acabou sendo derrotado pelo Internacional.

Houve também uma final argentina, em 2018, na qual o River Plate levou a melhor sobre o Boca Juniors. Depois disso, no entanto, a glória ficou entre Flamengo e Palmeiras, que neste momento atingem o auge de uma rivalidade alimentada nas últimas temporadas, durante as quais se estabeleceram como as principais forças do futebol brasileiro.

Em 2021, já houve uma disputa de título entre eles. Em março, o Flamengo levou a Supercopa do Brasil, com uma vitória sobre o Palmeiras nos pênaltis, por 6 a 5, após empate por 2 a 2 nos 90 minutos. O torneio reuniu os atuais campeões da Copa do Brasil, alviverdes, e os do Campeonato Brasileiro, rubro-negros.

Nos duelos recentes, há ampla vantagem dos cariocas. Desde 2017 os paulistas não saem de campo com um triunfo nesse confronto. A última vez foi Campeonato Brasileiro daquele ano, um 2 a 0 no Allianz Parque. Depois disso, foram cinco vitórias do Flamengo e quatro empates.

A fase atual é ainda mais favorável para os flamenguistas. O time de Renato Gaúcho venceu sete de seus últimos dez compromissos, entre competições nacionais e a Libertadores, com apenas uma derrota. Já o Palmeiras venceu só três dos últimos dez jogos, com quatro derrotas.

No Nacional, os dois estão separados por apenas três pontos (38 a 35), com o time paulista na segunda colocação. O carioca está em quarto, porém com dois jogos a menos em relação aos rivais.

SUL-AMERICANA

Também pode ser brasileira a final da Copa Sul-Americana. Nesta quarta, em Assunção, o Red Bull Bragantino venceu por 3 a 1 e avançou à decisão. No confronto de ida, a equipe paulista havia triunfado em casa por 2 a 0.

Será a primeira vez que o clube do interior paulista vai disputar uma final internacional. Artur e Cuello, duas vezes, marcaram os gols da equipe no Paraguai.

No confronto do título, o Bragantino enfrentará o Athletico ou o Peñarol (URU). Na partida de ida, em Montevidéu, a formação paranaense venceu por 2 a 1. O duelo de volta será nesta quinta, em Curitiba, às 21h30.

BARCELONA

Burrai, Castillo, León, Riveros e Pineida; Carcelén (Perlaza), Piñatares (Oyola), Martínez e Preciado (Díaz); Garcés (Cortez) e Mastriani (López). T.: Fabián Bustos

FLAMENGO

Diego Alves, Isla, Rodrigo Caio, David Luiz (Gustavo Henrique) e Filipe Luís (Renê); Willian Arão, Andreas Pereira (Bruno Viana), Everton Ribeiro, Arrascaeta (Pedro) e Bruno Henrique (Michael); Gabigol. T.: Renato Gaúcho

Estádio: Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil (EQU)

Árbitro: Roberto Tobar (CHI)

Assistentes: Christian Schiemann (CHI) e Cláudio Rios (CHI)

VAR: Julio Bascunãn (CHI)

Cartões amarelos: Andreas Pereira e Willian Arão (FLA); León e Piñatares (BAR)

Gols: Bruno Henrique (FLA), aos 17'/1ºT e aos 4'/2T

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos