Flamengo avalia poupar na Libertadores para focar em duelo de líderes do Brasileiro

Marcello Neves
·2 minuto de leitura
Jogadores do Flamengo comemoram um dos gols contra o Corinthians
Jogadores do Flamengo comemoram um dos gols contra o Corinthians

A goleada por 5 a 1 sobre o Corinthians, no último domingo, na Neo Química Arena, mostrou como um período mínimo de descanso faz diferença para o elenco do Flamengo. Após seis jogos disputados em 14 dias, a comissão técnica do rubro-negro entendeu que é preciso poupar visando objetivos maiores na temporada. Nesta conta, a Libertadores será colocada de lado para o foco ser a liderança do Campeonato Brasileiro.

Líder do Grupo A da Libertadores e já classificado às oitavas de final, o Flamengo enfrenta o Junior Barranquilla nesta quarta-feira, às 21h30 (de Brasília), no Maracanã, precisando de um ponto para garantir a primeira colocação. Ter a vantagem dá a tranquilidade de decidir em casa os jogos de mata-mata, mas a tabela mostra que poucas posições serão alteradas na classificação geral. Ou seja, poupar agora é uma brecha que não aparecerá tão rapidamente no calendário novamente.

Já a partida contra o Internacional, neste domingo, às 18h15 (de Brasília), no Beira-Rio, é o duelo dos líderes do Brasileiro. O Rubro-Negro e Colorado estão empatados com 34 pontos e são dois dos três cotados ao título (o Atlético-MG joga nesta segunda-feira e também pode empatar em pontuação). Neste cenário, o duelo no Rio Grande do Sul é tratado como prioridade.

— Nós jogamos muitos jogos este mês, e precisamos de um ponto para ficarmos em primeiro lugar no grupo. Vamos tentar trocar. Dou importância para Libertadores, mas vamos trocar bastante. Nosso elenco tem jogadores maravilhosos, podemos trocar tranquilamente — disse Domènec Torrent, após a goleada do Flamengo sobre o Corinthians.

O alerta do desgaste físico foi ligado após o empate em 1 a 1 com o Bragantino, na última quinta-feira, no Maracanã. O chefe do departamento médico, Márcio Tannure, chegou a dar coletiva afirmando que os jogadores foram a campo "no pior da fadiga" muscular, casos do meio-campista Gerson e do atacante Pedro. Arrascaeta, Rodrigo Caio e Pedro Rocha devem voltar e ser relacionados.

— É uma semana completamente atípica. A gente jogou 48 horas após um jogo onde, sabida e cientificamente, o maior da dor muscular tardia da fadiga é em 48 horas, e não 24 horas. Então, colocamos atletas no pior da fadiga para jogar. A gente tem feito o processo de recuperação no próprio estádio após os jogos, nas viagens, com o que temos a mão, mesmo não sendo o ideal, pelo período curto — comentou.

Outros atletas, como o lateral-direito Isla, que jogou 270 minutos em um intervalo de cinco dias, e o volante Thiago Maia e o atacante Bruno Henrique também despertam preocupação e devem ser poupados. Também é a possibilidade para Dome ter uma semana mais tranquila para treinamentos, já que o jogo contra o Junior Barranquilla é no Maracanã.