Flamengo admite adiar festa do título por eleições

Presidente do Flamengo assinou termo com o TRE do Rio e Janeiro para que não haja desfiles no dia da votação.
Presidente do Flamengo assinou termo com o TRE do Rio e Janeiro para que não haja desfiles no dia da votação. Foto: (CARL DE SOUZA/AFP via Getty Images)

Foi garantido pelo presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, em acordo firmado com o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, que nenhum evento de comemoração pelo possível título da Copa Libertadores da América será realizado no próximo domingo, quando, também, será realizado o segundo turno das eleições presidenciais.

O documento confirma que, caso o clube do Ninho do Urubu se torne tricampeão da maior competição de clubes da América do Sul, no confronto contra o Athletico Paranaense, não será feita carreata com caminhão de bombeiros, exibição pública da taça, carros de som ou trios elétricos e qualquer outra forma de celebração que não seja privada do clube. A razão é para que a circulação de eleitores não seja prejudicada e que todos possam, sem ter empecilhos, o direito ao voto assegurado. A sede do clube, na Gávea, zona sul do Rio de Janeiro, é um dos locais de votação da cidade. Lá, votam cerca de dois mil eleitores.

Leia também:

No ano de 2019, quando o Flamengo conquistou o bicampeonato da Libertadores contra o River Plate, o Centro do Rio foi tomado por torcedores que recepcionaram o elenco vencedor. À época, carros de som foram usados na celebração que se iniciou na Avenida Presidente Vargas.

Por cerca de quatro horas, os jogadores desfilaram junto de seus torcedores, mas a polícia, já no fim do evento, buscou uma forma de dispersar a grande aglomeração que havia sido feita e estourou bombas de gás lacrimogêneo na direção dos torcedores do clube rubro-negro.