Flamengo de 2009 era melhor que o atual, diz Kléberson

Goal.com

Apesar de não ter sido titular absoluto naquela emocionante campanha de 2009, Kléberson foi peça importante no Flamengo que conquistou o Brasileirão daquele ano – inclusive saindo do banco de reservas no jogo do título, contra o Grêmio. Hoje aposentado dos campos e estudando para seguir a carreira de treinador, o ex-jogador vê muitas diferenças no Rubro-Negro daquele ano para 2019.

“Quando eu olho hoje em dia para o Flamengo, é um clube diferente. Eles têm um centro de treinamento muito bom, estão bem melhores nas redes sociais e com jogadores incríveis. É um time ótimo e eles têm um treinador português muito bom. Mudaram a forma como as pessoas acompanham futebol no Brasil”, avaliou em entrevista exclusiva para Goal.

Kléberson, contudo, ainda acha que o grupo do qual fez parte, em 2009, era melhor que o de 2019 e o atual – vigente campeão estadual, brasileiro e da Libertadores.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Em 2009 o nosso time também era muito bom. O Adriano era inacreditável, Petkovic... nós não tínhamos os nomes fortes do Flamengo de agora. Tínhamos nomes mais modestos, mas jogadores muito bons e fizemos um grande trabalho em 2009. Para mim, o time de 2009 foi melhor”.

Ainda falando em grandes jogadores, não há dúvidas de que o ponto alto da carreira do meio-campista revelado pelo Athletico-PR foi a conquista da Copa do Mundo de 2002. Ainda jovem, Kléberson virou titular sob o comando de Felipão e pôde jogar ao lado de estrelas como Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo Fenômeno.

“Todo mundo ali era legal, gostavam de deixar todos no mesmo lugar, sempre brincando e fazendo piadas”, relembra. “Eu admirava muito os outros jogadores, e os via fazendo malabarismos com a bola. Ronaldinho ficava fazendo malabarismos com a bola na minha frente e eu só pensava: ‘meu Deus, olha só onde eu estou!’. Ronaldinho está na minha frente fazendo embaixadinhas e o Ronaldo, do meu lado, escutando algum funk”.

“O melhor daquele grupo é que todos eram como irmãos, como se fosse uma família”.

Não à toa, aquele grupo entrou para a história também sob o codinome de “Família Scolari”. Felipão é, ao lado de Sir Alex Ferguson, com quem Kléberson também trabalhou, o seu grande exemplo para a carreira na área técnica.

“Sir Alex Ferguson e o Scolari foram treinadores muito bons, também eram muito bons com os grupos que tinham e na leitura do jogo. Eu me lembro, quando estava no United, que o Ferguson costumava ficar andando no entorno do campo e prestava muita atenção aos jogadores, e aí nos passava umas boas dicas após os treinos. Já o Scolari era um cara mais intenso, ele tentava motivar muito os jogadores. Foram os melhores treinadores que tive”.

Leia também