Fisioterapia e exercício: estratégias para a recuperação da covid

·2 minuto de leitura


A pandemia do coronavírus reforçou ainda mais a importância da fisioterapia, especialmente a respiratória, aliada a exercícios físicos. Esta ciência, que trabalha para melhorar a distribuição de oxigênio no corpo humano, exerce papel fundamental tanto na prevenção da doença, diminuindo danos caso a pessoa seja infectada; quanto no tratamento, evitando até mesmo o estágio de intubação; e também na reabilitação, recuperando o funcionamento dos pulmões.

No município do Rio de Janeiro, foi aprovada recentemente a lei de número 6.977/21, que cria o programa de Fisioterapia Respiratória Ambulatorial Especializado para tratamento de pessoas que apresentam sequelas pulmonares causadas pelo coronavírus. Coautor do projeto, o vereador Marcelo Arar falou da iniciativa.

- Esse projeto é para que o cidadão que sofre alguma sequela respiratória tenha acompanhamento especializado e faça atividades com finalidade de recuperar lesões no pulmão, aumentando a capacidade respiratória, e para auxiliar também na recuperação das funções motoras. Assim como outras especialidades, a fisioterapia também é super importante nesse processo de reabilitação pós-covid - declarou.

Fisioterapeuta pós-graduanda em Fisioterapia em UTI Adulto, Ana Carolina Parente explicou como a fisioterapia respiratória trabalha na recuperação do órgão daqueles que foram infectados e deu algumas dicas do que pode ser feito tanto para prevenir quanto para recuperar as funções dos pulmões.

- A fisioterapia respiratória trabalha o funcionamento correto do sistema respiratório, melhorando a oxigenação do sangue e promovendo expansão pulmonar. As técnicas utilizadas proporcionam uma recuperação mais rápida e contribuem para reduzir o uso de medicamentos durante a internação - destacou a fisioterapeuta, que seguiu com as dicas.

* Um: o paciente deve encher um copo com água e soprar num canudinho, fazendo bolinhas na água. Deve inspirar profundamente, sustentar a respiração durante 1 segundo e soltar o ar (fazendo bolinhas na água) lentamente.

* Dois: o paciente deve inspirar lentamente, fazendo pequenas pausas enquanto inspira. Assim, deverá inspirar por 1 segundo, sustentar a respiração e continuar ainda inspirando por mais 2 segundos; sustentar a respiração e ainda continuar enchendo os pulmões de ar enquanto for possível; sustentar a respiração e, então, soltar o ar, esvaziando os pulmões.

Outras atividades que também podem auxiliar neste momento são encher balões, soprar língua de sogra e apagar velas. Para a prevenção, Ana Carolina Parente indica os tradicionais exercícios aeróbicos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos