Com final no domingo, rivais poupam principais atletas

Atlético e Cruzeiro tinham uma preocupação em mente: uma final importante para disputar no domingo, no Independência, e partidas importantes no meio de semana. Os rivais, no entanto, pouparam em seus jogos com foco em chegar bem no decisão do torneio estadual.

Os treinadores pouparam seus atletas mais importantes. No Galo, o esquema foi de três volantes, permitindo deixar no banco de reservas o trio da frente, Robinho, Fred e Maicosuel, em seu jogo contra o Sport Boys, na Bolívia, pela Copa Libertadores.

Já no Cruzeiro, Mano Menezes achou por bem mudar em vários setores, na partida contra a Chapecoense, no Mineirão, pela Copa do Brasil. Com isso ele poupou um de seus destaques da temporada, Rafael Sóbis, mas também conseguiu dar descanso atletas como Léo, Mayke e Hudson.

O efeito, porém, foi mais positivo para o Atlético. A equipe aproveitou a falta de capacidade técnica do Sport Boys, goleou a equipe boliviana, em seu território, e deixou o gramado com o resultado de 5 a 1, além de quase garantir sua classificação para a próxima fase.

Já a Raposa sofreu mais. O time de Mano Menezes fez seu gol logo aos dois minutos de jogo. A partida celeste, no entanto, foi muito ruim, com pouca criatividade e grande dificuldade para chegar contra a meta de uma Chapecoense que também era formada por vários reservas. Diante disso, com as dificuldades em campo, Mano precisou mandar a campo atletas que estavam sendo poupados, como Sóbis e Hudson, algo que não surtiu efeito.

Vale destacar que no discurso dos treinadores são contrários a poupar atletas. Tanto Mano Menezes quanto Roger Machado confirmaram que colocaram em campo jogadores com melhores condições de jogo com foco em conseguir a vitória.

Leia também