Final do Brasileiro da CBFA: raio-x do confronto entre Coritiba Crocodiles e Galo FA

Foto: (Letícia Moura) - Coritiba Crocodiles tem a defesa como uma das suas principais armas


Coritiba Crocodiles e Galo FA decidem, neste domingo (27/11), a partir das 15h, qual equipe se juntará ao T-Rex no restrito rol de únicos tricampeões nacionais de futebol americano no Brasil. As duas equipes fazem a final do Campeonato Brasileiro promovido pela CBFA no estádio Couto Pereira e a partida terá transmissão para todo o país no Canal do Youtube da RedeTV!.

O Perfil do Instagram Mapa do FABR fez um levantamento sobre os times em cinco jogos do Coritiba Crocodiles (um dos duelos da fase de grupos não tem vídeo) e seis partidas do Galo FA na competição nacional. Na parte ofensiva, o Galo FA conquistou 2.281 jardas (9.1 jardas por campanha ofensiva), enquanto o Coritiba Crocodiles teve 1.750 jardas (7.6 por drive).

Em relação às jardas passadas, o quarterback Marco Aguinaga passou para 1.384 jardas (média de 9.8 jardas por jogada), enquanto o QB Talon Roggasch passou para 870 jardas (média de 7.6 jardas por campanha ofensiva). No jogo corrido um equilíbrio: 897 jardas para o Galo FA (média de 8.2 por drive) contra 880 jardas para o Croco (7.6 por corrida).

O visitante completou 72% dos passes, enquanto os donos da casa tiveram 54% dos passes completos. O Coritiba Crocodiles teve cinco turnovers sofridos ante apenas dois do Galo FA.

Números defensivos
Se nos números ofensivos o Galo FA tem vantagem, a defesa do Coritiba Crocodiles se sobrepõe. Os donos da casa cederam apenas 478 jardas (2.5 por drive), enquanto os visitantes permitiram 723 jardas adversárias (3.6 jardas por campanha defensiva). O Croco permitiu apenas que 43% dos passes completos de seus rivais, enquanto a defesa do Galo concedeu 64% de passes completos dos adversários.

Em relação ao jogo corrido, a defesa do Coritiba Crocodiles não cedeu jardas aos adversários na somatória dos confrontos (uma vez que a diferença entre jardas conquistas pelos ataques dos rivais e a imposta pela defesa dos paranaenses foi de -1), enquanto os adversários correram 287 jardas no setor defensivo do Galo FA (3.1 por corrida em média). A defesa dos donos da casa forçou 12 turnovers, enquanto o time mineiro conseguiu 11.