Fim dos domínios? Premier League promete voltar a ser ‘a mais difícil do mundo’

·3 minuto de leitura
Chelsea e Manchester City devem ser dois dos principais candidatos ao título (Foto: Charlotte Wilson/Offside/Offside via Getty Images)
Chelsea e Manchester City devem ser dois dos principais candidatos ao título (Foto: Charlotte Wilson/Offside/Offside via Getty Images)

LONDRES (INGLATERRA) - Diferentemente do que foi visto nas três últimas temporadas, quando Liverpool e Manchester City sobraram na tabela, o Campeonato Inglês de 2021/22 tem tudo para ser um dos mais disputados dos últimos anos, fazendo, assim, jus ao título de ‘liga mais difícil do mundo’.

Após seis rodadas, a diferença de pontos entre os cinco primeiros é mínima e - tirando o Everton - tudo indica que serão esses aqueles que brigarão até o fim pelo título desta temporada.

Leia também:

Como já era esperado, Liverpool e Manchester City, líder e vice, com 14 e 13 pontos, respectivamente, seguem como grande favoritos. A equipe de Jürgen Klopp dominou 2019/20, sendo campeã com 18 pontos de vantagem, enquanto o time de Pep Guardiola faturou a última edição com 12 de diferença para o segundo.

Vale ainda lembrar que City e Liverpool foram soberanos também em 2018/19, com os Citizens campeões com 98 pontos, apenas um a mais que os Reds, mas com 26 a mais que o terceiro colocado.

"Todo ano tenho a sensação de que está ficando um pouco mais difícil. Definitivamente, temos aqui os melhores jogadores, técnicos, times… E, sim, será muito difícil, muito. Será um desafio incrível para nós. Aceitamos o desafio, e vamos nessa", disse Guardiola quando perguntado se essa seria a mais temporada mais difícil dos últimos anos.

Velhos conhecidos estão de volta

Em 2021/22, no entanto, dois ‘intrusos’ já dão indícios de que tentarão assumir o papel de protagonistas no Inglês: Chelsea e Manchester United. Os dois, com os mesmos 13 pontos, acertaram na janela de transferências e provam neste começo de temporada que darão trabalho aos outros dois.

Atuais campeões da Champions League, os Blues fizeram apenas duas contratações para o já qualificado elenco, mas uma delas foi responsável por elevar ainda mais o patamar da equipe. Romeu Lukaku voltou ao clube após 10 anos, e provou a decisão acertada: marcou três vezes em cinco jogos do campeonato nacional - Saúl Ñíguez, volante, chegou por empréstimo junto ao Atlético de Madrid.

Já o Manchester United não poupou esforços para reforçar sua equipe e tentar acabar com um jejum que já dura nove anos na Premiere League. Além de Cristiano Ronaldo, que veio por um valor baixo, também investiram nas contratações da joia inglesa Jadon Sancho, ex-Borussia Dortmund, e do experiente zagueiro francês Raphaël Varane, ex-Real Madrid.

Decepções do Norte de Londres

Se por um lado Chelsea e Manchester United podem voltar a lutar pelo título, por outro, Tottenham e Arsenal, os dois rivais do norte de Londres, devem, mais uma vez, decepcionar - assim como na temporada passada.

Sob o comando de Nuno Espírito Santo, os Spurs vêm de três derrotas seguidas, a última justamente para o Arsenal - um 3 a 1 no Emirates Stadium no último domingo (26). Com novo pontos, ocupam apenas a 11ª posição - atrás de times bem mais modestos, como Brighton, West Ham, Everton, Aston Villa e Brentford.

Já o Arsenal vive um momento diferente. Apesar dos mesmo nove pontos, e uma posição acima - é o 10º -, o time comandado por Mikel Arteta vem de três vitórias seguidas, mas ainda precisa melhorar muito sua regularidade para tentar melhorar o desempenho da temporada passada, quando terminou em oitavo, sequer conseguindo uma vaga na nova Europa Conference League - a terceira divisão do futebol europeu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos