Fim da linha! Frank De Boer deixa comando da Holanda após queda precoce na Euro

·2 minuto de leitura

A queda precoce da Holanda na Eurocopa segue causando impacto. Apontando como um dos principais vilões do fraco desempenho da Laranja Mecânica diante da República Tcheca, Frank de Boer decidiu encerrar seu vínculo com a Federação Holandesa. O anúncio veio após reunião do treinador das partes envolvidas, que chegaram em comum acordo.

O contrato do técnico tinha validade até o fim de 2022, após a Copa do Mundo do Catar. Contudo, o acordo previa classificação para as quartas de final da atual edição da Euro, algo que não aconteceu. Por meio de comunicado, o ídolo e ex-jogador do time nacional admitiu que "o objetivo não foi alcançado".

Antecipando-me à avaliação, decidi não continuar como treinador nacional. O objetivo não foi alcançado, isso é claro. Estava ciente da pressão que viria sobre mim a partir do momento em que fui nomeado. Essa pressão só está aumentando agora, e isso não é uma situação saudável para mim, nem para o elenco a caminho da classificação para a Copa do MundoFrank De Boer sobre saída da seleção

Ex-defensor da seleção holandesa, De Boer não conseguiu segurar a pressão da eliminação para a República Tcheca | BSR Agency/Getty Images
Ex-defensor da seleção holandesa, De Boer não conseguiu segurar a pressão da eliminação para a República Tcheca | BSR Agency/Getty Images

Histórico dentro das quatro linhas, ele não conseguiu repetir o mesmo desempenho na área técnica da Laranja Mecânica. Desde 2020 no comando da seleção, ele conseguiu oito vitórias, três derrotas e quatro empates. Com a saída, a Holanda terá seu sétimo comandante ao longo dos últimos sete anos.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia a nota oficial divulgada pela federação holandesa:

Após consultas em Zeist entre Nico-Jan Hoogma, Eric Gudde, Frank de Boer e seu agente Guido Albers esta tarde, foi decidido que ambas as partes se separarão com efeito imediato. Frank de Boer anunciou que não quer continuar, o que também está em linha com o contrato entre as duas partes, que exigia uma vaga nas quartas de final. Esse contrato, portanto, não será renovado.

Frank de Boer: "Antecipando-me à avaliação, decidi não continuar como treinador da seleção nacional. O objetivo não foi alcançado, isso é claro. Quando fui abordado para treinar a seleção em 2020, pensei que era uma honra e um desafio, mas também estava ciente da pressão que viria sobre mim a partir do momento em que fui nomeado, essa pressão só está aumentando agora, e isso não é uma situação saudável para mim, nem para o elenco a caminho da classificação para a Copa do Mundo. Quero agradecer a todos, é claro, aos torcedores e aos jogadores. Meus cumprimentos também à administração, que criou um verdadeiro clima esportivo de ponta aqui no campus."

Nico-Jan Hoogma: “Apesar de todos os esforços de Frank, o objetivo de pelo menos chegar às quartas de final não foi alcançado. Se isso não tivesse sido alcançado, faríamos uma avaliação, o que possivelmente poderia ter produzido um resultado diferente. Tínhamos apostado numa melhor Eurocopa, mas não deu certo. A escolha de Frank acabou sendo diferente do que esperávamos. Um sucessor deve ser encontrado por mim, após uma boa consulta interna. É necessário fazer isso, porque no dia 1º de setembro jogaremos o importante jogo de classificação contra a Noruega, em Oslo. Agora vamos avaliar mais, de forma mais ampla do que apenas o treinador, aguçar o perfil, fazer o trabalho que se espera de nós aqui.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos