Filhos de Sandra falaram com Pelé no hospital: 'a gente conseguiu finalizar perdoando'

SANTOS, SP, 02.01.2023 - VELÓRIO-PELÉ-SANTOS: Edinho acaricia a cabeça de Pelé - Chegada do caixão com o corpo de Pelé chega à Vila Belmiro - Velório do ex-jogador Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, realizado no estádio Vila Belmiro, na Baixada Santista, nesta segunda-feira. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)
SANTOS, SP, 02.01.2023 - VELÓRIO-PELÉ-SANTOS: Edinho acaricia a cabeça de Pelé - Chegada do caixão com o corpo de Pelé chega à Vila Belmiro - Velório do ex-jogador Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé, realizado no estádio Vila Belmiro, na Baixada Santista, nesta segunda-feira. (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Octávio Felinto Neto e Gabriel Arantes do Nascimento, netos de Pelé e filhos de Sandra Regina Arantes do Nascimento Felinto, filha do ex-jogador reconhecida apenas judicialmente como herdeira de Pelé em 1996, fruto de um relacionamento do ex-jogador com a empregada doméstica Anísia Machado, afirmaram terem perdoado o avô momentos antes de sua morte na última quinta-feira (29).

A pedido do próprio Pelé, os garotos viajaram dos Estados Unidos, onde residem, para participar com a família dos últimos dias do avô em vida. Foi apenas a segunda vez que se encontraram pessoalmente.

"Os últimos momentos foram muito bons, apesar de tristes. Estávamos nos Estados Unidos e uma das minhas tias me ligou, a pedido do meu avô. Voltamos de prontidão direto para o Einstein", disse Gabriel.

"Conversamos, falei para ele tudo, o quanto o admirava como jogador e como pessoa. Ficamos com as mãos entrelaçadas orando, conversando... Foi um momento muito triste, mas muito importante para mim e para o meu irmão", completou.

Sandra Regina morreu em 2006, aos 42 anos, após complicações de um câncer. Em 1991, ela entrou com um processo na Justiça para ser reconhecida como filha do Rei do futebol. Ganhou cinco anos depois com a paternidade provada por teste de DNA.

Pelé moveu processos contra ela, mas perdeu. Desde então, ela passou a usar o sobrenome Arantes do Nascimento.

"Foi um momento difícil no hospital. Acredito que a gente conseguiu finalizar perdoando mesmo, esse é o legado que tem que ser deixado. O perdão e o amor vencem todas as coisas", afirmou Octávio.

Octávio Felinto tentou a carreira como jogador de futebol profissional. Ele tem passagem pelas categorias de base do São Paulo e chegou a integrar o elenco do Guarani de Divinópolis-MG.

Durante a visita ao avô, um dia antes da morte, afirmou pelas redes sociais ter cumprido um sonho da mãe. "Errar e acertar fazem parte da nossa vida, nem tudo é mil maravilhas, toda família tem brigas e rusgas, a nossa não é diferente, mas a momentos que a união e o amor são mais importantes do que qualquer coisa. Agradeço a Deus por ter proporcionado esse momento, pois era o que minha mãe mais sonhava, tem coisas que uns plantam e outros colhem e nós estamos colhendo", explicou na ocasião.