Fifa proíbe Dinamarca de treinar com camisas a favor dos direitos humanos

A Fifa proibiu a Dinamarca de treinar com camisas que possuem mensagens de defesa dos direitos humanos na Copa do Mundo do Catar, anunciou a federação dinamarquesa nesta quinta-feira, dez dias antes do início da competição.

A federação internacional rejeitou o pedido dinamarquês para usar essas camisas com a mensagem "Direitos humanos para todos" ("Direitos humanos para todos"), confirmou à AFP Jakob Hoyer, porta-voz da DBU.

A Federação Dinamarquesa, que há muito é hostil à organização do torneio no Catar, quer liderar a luta em favor dos trabalhadores migrantes e a defesa dos direitos LGBTQIA+ no emirado.

"Enviamos um pedido à Fifa, mas a resposta é negativa. Lamentamos, mas devemos levar isso em consideração", disse o diretor-geral da DBU, Jakob Jensen, à agência dinamarquesa Ritzau.

A Federação anunciou que suas camisas de treino exibiriam "mensagens críticas" e dois patrocinadores (Danske Spil e Arbejdernes Landsbank) concordaram em ter seu logotipo substituído nelas.

A Fifa, que proíbe mensagens políticas, pediu na semana passada que as seleções "se concentrem no futebol" e não entrem "em todas as batalhas ideológicas ou políticas".

A DBU aceitará a proibição de camisas com mensagens críticas para evitar multas e penalidades, disse.

"Para mim é uma camisa com uma mensagem muito simples sobre direitos humanos universais", disse Jensen.

Questionada pela AFP, a Fifa não reagiu de imediato.

cbw/map/psr-dr/aam