Fifa pede que Boris Johnson ajude a liberar jogadores para seleções

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Gianni Infantino, presidente da Fifa, disse que escreveu ao primeiro ministro do Reino Unido, Boris Johnson, pedindo que as regras de quarentena sejam flexibilizadas para que os jogadores da Premier League possam defender suas seleções.

"Pedi a ajuda necessária, nesse assunto, para que os jogadores não sejam privados da oportunidade de representar seus países nas Eliminatórias para a Copa do Mundo", afirmou o dirigente em um comunicado.

"Juntos, nós mostramos solidariedade e união na luta contra a Covid-19. Agora, eu apelo a todos para garantir a liberação dos jogadores para as partidas das Eliminatórias da Copa do Mundo", continuou.

Nesta terça-feira (25), a Premier League anunciou que não iria liberar jogadores dos clubes ingleses para atuar por seleções de países da "lista vermelha".

A lista é a categoria criada pelo governo do Reino Unido para aqueles países em pior situação na pandemia. Brasil, Chile e Argentina, por exemplo, estão entre essas nações.

Quem volta de viagem desses países precisa passar por uma quarentena de dez dias, o que, segundo a Premier League, faria com que os atletas perdessem compromissos nacionais e internacionais por seus clubes.

A seleção brasileira tem três jogos marcados para setembro, pelas Eliminatórias. Contra a seleção chilena, no Chile, às 22h (de Brasília) do próximo dia 2. Depois, pega a Argentina em São Paulo, às 16h do próximo dia 5 -jogo que inclusive terá público-, e o Peru na Arena Pernambuco, no dia 9, às 21h30.

Dentre os convocados por Tite para esses duelos, jogam na Inglaterra: Thiago Silva (Chelsea), Richarlison (Everton), Raphinha (Leeds United), Alison (Liverpool), Fabinho (Liverpool), Roberto Firmino (Liverpool), Ederson (Manchester City), Gabriel Jesus (Manchester City) e Fred (Manchester United).

A La Liga também anunciou que apoiará os clubes espanhóis que não quiserem liberar atletas de seus elencos.

Em tese, a Fifa obriga que os clubes liberem seus jogadores para datas oficiais (como as Eliminatórias). No entanto, com a pandemia, o Conselho de Ética da entidade criou exceções por razões sanitárias, como casos de quarentena no retorno de atletas.

"Estou pedindo um show de solidariedade de cada associação, liga e clube, para fazer o que é justo e certo para o jogo. Muitos dos melhores jogadores do mundo competem em ligas na Inglaterra e na Espanha, e acreditamos que esses países compartilham a responsabilidade de preservar a integridade esportiva das competições ao redor do mundo", disse Infantino.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos