Fifa nega uso de tinta verde para cobrir falhas em campos da Copa

Funcionário cuida da grama do Estádio 974 antes do confronto entre Sérvia e Suíça. Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images
Funcionário cuida da grama do Estádio 974 antes do confronto entre Sérvia e Suíça. Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

A Fifa negou o uso de tinta nos campos da Copa do Mundo depois que vários jogadores reclamaram de manchas "estranhas" em seus uniformes, segundo relatos. Algumas estrelas se perguntaram se a equipe que cuida dos gramados estava usando a pintura para esconder falhas em alguns dos estádios do Catar.

A tática é usada no golfe onde falhas na grama são cobertas com tinta verde para manter sua aparência intocada. Mas não é uma tática comumente usada para consertar campos de futebol.

Leia também:

A Fifa insiste que essa não é a tática usada no Catar. No entanto, eles afirmam que a tinta verde está sendo usada em áreas de 'aquecimento' onde os substitutos se preparam para a ação.

Os jogadores aparentemente voltaram aos vestiários se perguntando o que são as manchas em seus uniformes. O relato foi feito pelo jornal britânico Daily Mail, que assegura que a Fifa negou o uso de tinta verde em campos.

Isso ocorre dias depois que Inglaterra e Senegal supostamente nutriram preocupações sobre o gramado do Al-Bayt Stadium antes das oitavas de final na noite de domingo. O Times afirmou no início do fim de semana que o campo havia se desgastado muito rapidamente durante a fase de grupos da Copa do Mundo.

Imagens de televisão mostraram a grama cortada durante os jogos. A FIFA implantou “equipes de recuperação” após os jogos para ajudar a salvar alguns dos campos.

O Brasil é uma das seleções que reclama do estado de alguns campos, principalmente o 974, onde o time comandado por Tite enfrenta a Coreia do Sul nesta segunda-feira (5).

Vale lembrar que a Copa do Catar tem somente oito estádios disponíveis fazendo que jogos sejam disputados em sequência nas Arenas preparadas para o primeiro mundial de seleções disputado no Oriente Médio.