FIFA apresenta denúncia contra Blatter na Suíça

·2 minuto de leitura
O ex-presidente da FIFA Joseph Blatter

A FIFA anunciou, nesta terça-feira (22), que apresentou uma denúncia na Suíça contra seu ex-presidente Joseph Blatter, por irregularidades financeiras detectadas na construção de um museu.

Em um comunicado, a organização explica que entrou com "uma ação criminal junto ao procurador do cantão de Zurique depois que uma investigação realizada por especialistas externos trouxe à luz evidências de suposta má gestão criminosa, envolvendo a antiga direção da FIFA e as empresas escolhidas por ela para o projeto" do museu.

Diante dessas acusações, o advogado de Blatter, Lorenz Erni, disse à AFP que "as acusações são infundadas e são negadas de forma veemente".

Segundo a FIFA, o projeto do museu gerou uma conta de 500 milhões de francos suíços (462 milhões de euros) que "poderiam e deveriam ter sido usados para o desenvolvimento do futebol mundial".

"Chegamos à conclusão de que não tínhamos outra escolha a não ser denunciar este caso ao procurador-geral, já que a atual diretoria da FIFA tem responsabilidades fiduciárias para com a organização e pretende assumi-las completamente, mesmo que seu antecessor esteja longe de ter feito o mesmo", afirmou o secretário-geral adjunto da FIFA, Alasdair Bell, no comunicado.

O museu da FIFA em Zurique, promovido por Blatter, presidente afastado e suspenso da entidade, foi inaugurado em fevereiro de 2016 pelo atual presidente, Gianni Infantino, um dia após sua eleição.

Mas no final de outubro de 2016, o diretor Stefan Jost deixou o cargo após "divergências de opinião sobre a estratégia futura do museu do futebol", explicou a FIFA na ocasião.

Menos de um mês depois, o museu foi ameaçado de fechamento por perdas financeiras, situação que foi comunicada aos funcionário. Mas o museu permaneceu aberto.

O edifício de 10 andares tem 3.000 metros quadrados de área para exposições, espaços para eventos, restaurantes, 34 apartamentos, além de escritórios com capacidade para 140 funcionários. Recebeu em média 11.000 visitantes por mês, mas o museu esperava entre 130.000 e 150.000 visitantes em 2016.

apo/vog/gf/gh/tt