FIA quer motores da F1 mais baratos e barulhentos a partir de 2021

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA) divulgou, em nota oficial, que mudanças nos motores dos carros de Fórmula 1 podem acontecer a partir da temporada de 2021.

Em nota oficial, a entidade anunciou que se reuniu com os fabricantes dos motores da Fórmula 1, com fabricantes de automóveis e com outros representantes ligados à categoria.

A intenção da FIA é transformar o atual motor da Fórmula 1, híbrido e 1.6 litros, a partir de 2021. De acordo com a entidade, a reunião inicial mostrou que as partes estão em acordo com a alteração das unidades de potência.

Dessa maneira, o objetivo da FIA é que os novos motores sejam relevantes para as ruas. Além disso, que as unidades de potência se tornem mais poderosas, mas ao mesmo tempos mais simples e mais baratas para desenvolver e produzir. O som dos motores, aliás, seria melhorado, e também seria permitido que os pilotos pudessem guiar os carros de forma mais agressiva durante todo o tempo.

Quem ficou animado com a aceitação positiva da proposta na reunião foi o presidente da FIA, Jean Todt. O dirigente acredita que a medida será benéfica à Fórmula 1.

“Fiquei muito satisfeito com o fato de que tantos interessados puderam concordar em uma direção para o Mundial da Fórmula 1 em uma área técnica tão importante. Agora devemos sentar e trabalhar nos destaques do que as unidades de poder de 2021 serão, mas começamos com o pé direito, e estou ansioso em trabalhar para uma melhor decisão para a F1 no futuro” disse Todt.