Ferrari fala em "temporada longa", mas parte para Bahrein com "correções para explorar todo potencial"

Redação GP
Grande Prêmio


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A estreia complicada na Austrália já fez a Ferrari se mexer bem cedo em 2019. Para o GP do Bahrein, os italianos prometem correções no carro e buscam, finalmente, explorar todo potencial do carro, algo que deixam claro que não aconteceu na abertura da temporada em Melbourne.

Mattia Binotto, novo chefe da escuderia, reiterou que é uma temporada grande, mas que a Ferrari não tem mais tempo para repetir o que aconteceu na Austrália.

"O GP do Bahrein é a segunda corrida de uma temporada que vai ser longa e exigente. O circuito de Sakhir é muito diferente do australiano e tração e frenagem serão fatores cruciais. Como equipe, precisamos mostrar no Bahrein que acertamos algumas coisas em que éramos fracos na Austrália, o que impediu que a gente pudesse explorar todo o potencial do carro", disse o italiano. 

Mattia Binotto prometeu correções no Bahrein (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)




Binotto explicou também que os ajustes necessários para o Bahrein já foram feitos e, mesmo com a evolução das rivais diretas, a Ferrari vem para briga.

"Esperamos ver o efeito das correções que fizemos no carro já no Bahrein, ainda que a gente saiba que todos os nossos adversários estarão fortes mais uma vez. Tendo isso em mente, estamos confiantes em voltar para a pista e encará-los", completou.

Tida como principal favorita ao título após uma grande pré-temporada, a Ferrari decepcionou em Melbourne e nem pódio fez, com Sebastian Vettel em quarto e Charles Leclerc em quinto.


Leia também