Ferrari enfrenta dilema com carros de 2021 e 2022

Franco Nugnes
·3 minuto de leitura

Como será o SF21? Os fãs da Ferrari não devem se iludir, pois o carro de 2021 será uma evolução do SF1000 que levou a Scuderia a fechar a temporada de 2020 na sexta posição no campeonato de construtores da Fórmula 1, sua pior posição nos últimos 40 anos.

Os regulamentos permitem pouca margem de manobra. Uma nova unidade de força será introduzida, e as fichas que podem ser gastas irão para a parte traseira, para a caixa de câmbio e a suspensão traseira diferente, bem como as mudanças aerodinâmicas necessárias para compensar a perda de carga devido às modificações impostas pela FIA e a introdução dos pneus Pirelli de 2021.

Depois de fracassar com o SF1000, o grupo técnico encabeçado por Enrico Cardile deverá mostrar que sabe corrigir os diversos problemas que surgiram no carro, além da drástica perda de potência (cerca de 50 CV).

Leia também:

Sainz: Ferrari não é uma equipe que "devora" seus pilotos Ex-chefe da Ferrari, novo CEO da F1 alerta que escuderia pode perder Leclerc F1: Vettel omite Binotto de lista de 'notáveis' em período na Ferrari; veja os nomes

“O SF1000 não pode ser jogado fora”, explicou Mattia Binotto no encontro com jornalistas entre as corridas de Portimão e Abu Dhabi. “Testamos novos difusores que nos ajudaram a resolver os problemas de correlação entre o simulador e a pista, e serão muito úteis até 2021. Podemos aspirar terminar pelo menos no terceiro lugar, embora tenhamos que ser realistas: a lacuna para o primeiro é muito grande e o tempo para reduzi-la muito pequeno. Teremos uma nova unidade de força, mas o chassi irá congelar e vai reduzir em 60% o tempo gasto no túnel de vento”.

Durante a conversa pós-temporada com jornalistas, Binotto observou que eles terão que ser inteligentes sobre como gerenciar seus recursos no próximo ano.

“2021 será um ano particular, em que também teremos que estabelecer prioridades entre os objetivos da temporada e os de 2022. A partir de janeiro poderemos começar a trabalhar no projeto do carro com efeito solo, que para nós representa uma importante oportunidade graças à mudança nos regulamentos técnicos”.

“Teremos que destinar muitos recursos para este projeto em um contexto onde já haverá um teto orçamentário que limitará os recursos de todas as equipes e, portanto, será importante tomar uma decisão de imediato, já em janeiro, para decidir como e onde alocar nossos recursos".

"É por isso que não será um ano em que teremos evoluções a cada corrida, creio que seria totalmente errado justamente porque há um 2022 para preparar, e esta será uma das maiores dificuldades que teremos que enfrentar na próxima temporada."

Diante dessa situação, não podem ser cometidos erros nos pacotes de atualização, pois tudo o que for levado para a pista deverá funcionar quase que imediatamente já que os recursos serão divididos em dois projetos, com foco especial em 2022.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Cristiano da Matta revela APELIDO SECRETO de Rubens Barrichello no início de carreira na Europa

Your browser does not support the audio element.