Ferrari confirma Sainz no lugar de Vettel em 2021 e McLaren terá Ricciardo

AFP

Com os motores parados devido ao coronavírus, a Fórmula 1 ainda está ativa nos preparativos para 2021, depois que a Ferrari anunciou nesta quinta-feira a contratação de Carlos Sainz, para substituir Sebastian Vettel, enquanto o lugar do espanhol na McLaren será ocupado por Daniel Ricciardo.

A Ferrari anunciou que o contrato de Sainz será de dois anos (2021 e 2022), para acompanhar o monegasco Charles Leclerc, apenas alguns minutos depois que a McLaren informou a contratação por "vários anos" do australiano de 30 anos, que terá o britânico Lando Norris, de 20 anos, como parceiro.

Acreditamos que uma dupla de pilotos com o talento e a personalidade de Charles (Leclerc, com contrato até 2024) e Carlos, o mais jovem dos últimos 50 anos da equipe, será a melhor combinação possível para nos ajudar a alcançar os objetivos que estabelecemos", disse o diretor da equipe italiana, Mattia Binotto, em um comunicado.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A escuderia italiana não conquista um título mundial desde que Kimi Raikkonen se sagrou campeão em 2007 e um título do mundial de construtores não vem desde 2008.

- 'Ambição' -

Filho do bicampeão mundial de rally Carlos Sainz e revelação da escuderia de jovens talentos Red Bull, Sainz Jr estreou na categoria principal do automobilismo em 2015 com a Toro Rosso, antes de se transferir para a Renault em outubro de 2017 e para a McLaren em 2019.

Nesta quinta-feira o espanhol se disse "muito feliz" com a contratação da escuderia italiana e "com o futuro que me espera na equipe".

Seu objetivo agora será superar sua melhor temporada vivida em 2019, quando terminou em sexto no mundial de pilotos e alcançou seu primeiro pódio com um terceiro lugar no Brasil.

"Ele tem a ambição de continuar fazendo o melhor, de dar passos adiante, como fez no ano passado, que deve ser a filosofia de qualquer atleta, de qualquer um que competir em alguma coisa", disse Carlos Sainz 'sênior' ao canal de televisão Movistar na quarta-feira.

Ricciardo compete na F1 desde 2011 e correu pela Red Bull entre 2014 e 2018 antes de ingressar na Renault em 2019. Ele havia negociado com a McLaren antes de assinar pela equipe francesa e os rumores também o ligavam regularmente à Ferrari por causa de suas origens italianas.

O recorde do australiano inclui 29 pódios, incluindo sete vitórias e três pole positions. Suas melhores classificações no mundial foram dois terceiros lugares em 2014 e 2016.

"Contratar Daniel é mais um passo adiante em nosso projeto de longo prazo (recuperar o sucesso depois de alguns anos difíceis desde 2013)", explicou o presidente da McLaren, Zak Brown.

Outro passo da equipe que tem sede em Woking, na Inglaterra, será mudar a próxima temporada dos motores Renault para a Mercedes, que dominou a F1 desde a introdução dos motores híbridos em 2014.

A Renault, cujo segundo piloto é o francês Esteban Ocon, terá que encontrar um substituto para Ricciardo.

- Volta de Alonso? -

Mesmo com Vettel potencialmente no mercado, a equipe francesa pode ficar tentada a recorrer a uma antigo paixão: o espanhol Fernando Alonso, de 38 anos, e aposentado da categoria desde o final de 2018.

A Renault conquistou seus dois títulos de construtores e pilotos campeões mundiais com os espanhóis em 2005 e 2006.

Tendo chegado à Ferrari em 2015, Vettel, de 32 anos, deixará a 'Scuderia' no final de 2020. O futuro do bicampeão mundial (2010-2013) com a Red Bull é incerto.

"O que aconteceu nos últimos meses levou muitos de nós a refletir sobre quais são nossas prioridades na vida", disse o alemão, que é pai de família, no comunicado em que anunciou sua saída da Ferrari.

"Temos que dar uma nova olhada em uma situação que mudou. Pessoalmente, vou dedicar um tempo para refletir sobre o que realmente importa para o futuro", acrescentou.

A situação no mercado de transferências não tem precedentes com uma temporada de 2020 que não começou devido à pandemia de coronavírus.

Leia também