Ferrari admite "constrangimento" inicial para lidar com Leclerc e Vettel

Redação GP

A Ferrari teve uma temporada 2019 bastante complicada. Ao mesmo tempo em que evoluiu muito no motor e teve um carro extremamente competitivo na segunda metade do ano, se complicou com uma série de erros dos mais diversos tipos. No meio disso tudo, uma rivalidade explosiva se criou entre o tetracampeão Sebastian Vettel e o jovem Charles Leclerc. Agora, os italianos acreditam que os pilotos estão mais tranquilos na forma de lidar e garantem que a abordagem com os dois será a mesma do fim do ano.

Mattia Binotto, chefe da equipe, lembrou que a primeira vez que falou de táticas de corridas com os dois foi bem constrangedora, mas que isso já acontece de forma mais natural nas últimas vezes. Em 2019, a Ferrari havia decidido que Vettel teria prioridade em 50% das ocasiões em que a dupla se encontrasse na pista, não interferindo nas demais.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

"Esse tipo de reunião no comecinho do ano tem muito constrangimento, é difícil de conduzir. Mas agora estamos nos acostumando. A temporada foi acabando e fomos ficando mais e mais confortáveis, o que quer dizer que fomos entendendo que somos uma equipe. Podemos cometer uns erros na corrida, mas tenho certeza que eles são parte do processo", disse.

Binotto com Vettel e Leclerc (Foto: Ferrari)



No entanto, a tentativa de evitar duelos vai seguir em 2020. Ainda que não tenha contado como vai ser a divisão, o chefe do time não quer liberar Vettel e Leclerc e acha que o resultado final da temporada vai compensar as ordens.

"Não é uma tarefa fácil, todo mundo pode fazer melhor, mas acho que a tentativa de controlá-los desde a Austrália é um caso diferente. O pessoal acha que nós devemos deixá-los livres na primeira corrida, mas seguimos convencidos de que a melhor forma de marcar pontos para a equipe é conversando com eles. Nós vamos seguir conversando desde a primeira prova, achamos que quanto mais o time faça, mais os pilotos vão fazer lá na frente", seguiu.

Para Binotto, algo fundamental no processo de recuperação da Ferrari é o entendimento de todos. Para isso, mais conversas e respeito aos dois pilotos, segundo o italiano.

"Acredito que podemos ser mais fortes ano que vem. Agora temos reuniões com pilotos antes das corridas para discutir cenários, o que pode acontecer, o que pode rolar na estratégia da equipe. E é importante conversar porque são dois bons pilotos e que precisam ser respeitados, dois caras que só querem vencer e não simplesmente bater o companheiro", completou.


Paddockast #46

OS 10 MELHORES PILOTOS DA DÉCADA


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM





Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.








Leia também