Fernando Alonso não descarta voltar à Fórmula 1

AFP
Fernando Alonso conquistou seu último título na Fórmula 1 em 2006
Fernando Alonso conquistou seu último título na Fórmula 1 em 2006

O piloto espanhol Fernando Alonso, bicampeão mundial de Fórmula 1, admitiu nesta segunda-feira que quer se concentrar em um desafio "no mais alto nível" para não descartar um "retorno à F1", no momento em que crescem os rumores sobre uma possível contratação por parte da Renault.

"Estou em um ótimo nível físico e motivacional, então gostaria de me concentrar em uma categoria máxima, seja no retorno à F1, no campeonato de resistência, na Indycar ...", disse Alonso em uma teleconferência organizada pela Escuela Universitaria Real Madrid-Universidad Europea.

Alonso não descarta o retorno ao 'Grande Circo', depois que em 2018 deixou a categoria mais alta do automobilismo para enfrentar outros desafios, como corridas de resistência e o rali Dakar.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Décimo terceiro na última edição deste rali, Alonso explicou nesta segunda-feira que "a busca por desafios e opções" foi o que o levou a tentar a sorte no Dakar.

"Foi uma jogada ousada, ver como eu poderia desfrutar de um carro tão diferente. Foi uma experiência positiva que certamente repetirei no futuro", acrescentou Alonso.

Mas agora, "acho que o próximo desafio será do mais alto nível, porque acho que ainda estou 100% em condições para isso", disse ele.

As declarações de Fernando Alonso acontecem no momento em que as especulações continuam a crescer sobre uma possível aproximação entre o espanhol e a Renault, que está procurando um piloto para 2021 após a partida anunciada de Daniel Ricciardo na quinta-feira passada rumo à McLaren.

"Fernando está motivado. Um ano fora da Fórmula 1 fez bem para ele. Ele se desintoxicou. Eu o vejo mais sereno e pronto para voltar", disse o empresário italiano Flavio Briatore, em entrevista publicada nesta segunda-feira pelo jornal italiano La Gazzetta dello Sport.

Briatore contratou Alonso para a Renault em 2001 e com ele no comando o espanhol venceria seus dois campeonatos mundiais de F1 (2005 e 2006).

Leia também