Felipe Maestro lembra momentos no Vasco, cita Mundial e pede desculpas: 'Jogamos demais naquele dia'

·1 minuto de leitura


Um dos maiores ídolos da história do Vasco, o ex-lateral e ex-meia Felipe voltou a falar com carinho do clube de São Januário. Formado na Colina, maior campeão do futebol do Cruz-Maltino, ele lembrou momentos curiosos, como os minutos finais do jogo que resultou no título da Copa do Brasil de 2011.

- Acabei substituído faltando uns 12 minutos para o fim da partida. A gente tinha vencido o jogo de ida, em casa, por 1 a 0. Em Curitiba, um frio, mas um frio... estava 3 a 2 para eles, resultado que daria o título ao Vasco. Então, quando saí, meti o agasalho e fui pro banco. Só que em vez de assistir ao jogo, sentei no chão, cobri a cabeça com o capuz, tapei os olhos com as mãos e rezei - recordou, em entrevista ao site The Players Tribune.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Apesar dos troféus de diferentes grandezas pelo clube, faltou um: o título Mundial. Em 1998, contra o Real Madri (ESP), o jogo único terminou 2 a 1 para os espanhóis. Felipe, porém, entende que o Vasco foi superior.

- Agora, a vida não é perfeita. E eu tenho um pedido de desculpas a fazer ao torcedor vascaíno. Pelo gol que perdi na final do Mundial de Clubes, em Tóquio, contra o Real Madrid. Não que seja um peso. Seria uma crueldade achar isso, depois de uma história tão bonita que construí no Vasco. Mas incomoda, não posso negar. Porque eu sei que jogamos demais naquele dia. Eu dei tudo, tudo, tudo. E, se tivesse mais, daria mais - garantiu o Maestro, hoje técnico do Bangu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos