Felipe Conceição ganha liminar na Justiça, e Cruzeiro tem prazo curto para rescindir o contrato do treinador

·2 minuto de leitura

O técnico Felipe Conceição acionou a Justiça do Trabalho do Pará e conseguiu uma liminar favorável ao desligamento de seu vínculo junto ao Cruzeiro. Demitido da Raposa há quase um mês, o treinador assinou recentemente com o Remo, mas, como ainda não teve a rescisão na Celeste publicada no BID da CBF, não pode comandar o Leão Azul.

De acordo com informações do ge, a Justiça do Trabalho intimou o Cruzeiro a “promover a desvinculação do reclamante (Felipe Conceição) do seu quadro funcional”. A decisão saiu na noite da última terça-feira (6) e, caso não seja cumprida em 24 horas, determina o pagamento de uma multa de R$ 50 mil por dia.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Vale lembrar que Felipe Conceição foi desligado do Cruzeiro no começo do mês passado (9 de junho), tempos após o clube ser eliminado na Copa do Brasil. Em comunicado, a Raposa alegou que a demissão do treinador foi feita em “comum acordo”, fazendo com que o desligamento não fosse contabilizado na regra de limite de troca de técnicos da CBF.

O treinador, porém, acionou a Câmara Nacional de Resoluções de Disputadas, a chamada CNRD, contra o Cruzeiro e questionou a saída do clube. Ele não aceitou assinar o termo de rescisão contratual que oficializaria o rompimento em comum acordo.

Em defesa, o advogado de Conceição alegou que a Raposa estaria tentando coagir o treinador a colaborar com a versão de que o desligamento se deu em comum acordo. Veja:

"Registra-se que o Reclamante já firmou contrato de trabalho com o CLUBE DO REMO, se encontrando atualmente impedido de trabalhar por conta da conduta do Reclamado, que tenta lhe coagir a assinar documento onde consta a inverídica informação de que a rescisão contratual teria ocorrido por mútuo acordo".

"Registra-se que o Reclamada tenta coagir o Reclamante a assinar o documento declarando que a rescisão se deu por comum acordo para, de um lado tentar eximir-se da multa rescisória, e, de outro, esquivar-se da regra que determina que cada time da série B do Brasileirão 2021 só pode dispensar imotivadamente até 2 (dois) técnicos".

O Cruzeiro, até o momento, não deu sua versão sobre o imbróglio.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos