Felipão admite erros do time, fala em sair das dificuldades e pede que as pessoas se cuidem contra a Covid-19

Valinor Conteúdo
·3 minuto de leitura


Luiz Felipe Scolari completou 72 anos de vida, com mais de 40 como treinador de futebol, além de ter sido atleta profissional. O treinador do Cruzeiro viveu momentos intensos no esporte, sendo campeão do mundo em 2020, com a Seleção Brasileira. E, hoje empresta seu trabalho para recuperar o Cruzeiro, combalido por más administrações, tentando se reerguer e sair da Série B do Brasileiro.

O empate de 3 a 3 com o Guarani não foi o presente que Felipão merecia, mas o treinador da Raposa reconheceu que dentro das circunstâncias, foi um resultado positivo, mantendo o time azul invicto sob o seu comando. O time azul não perde há sete jogos, sendo cinco de invencibilidade com Felipão no banco.

O técnico comentou sobre o ponto conquistado no Mineirão, exaltando a força de vontade do elenco e ainda afirmou que se houvesse VAR na segunda divisão, Willian Pottker não seria expulso.

-Bem, não veio a vitória, mas veio o gol de empate que precisávamos. Terminamos o jogo com vários jogadores da base, que estão dando conta do recado sim. E, nós estamos mudando essa situação do time aos poucos. Quanto a expulsão, se houvesse o VAR, ela teria sido revertida. Quando ele(Pottker) domina e gira, para o ataque, não tem como girar com os braços fechados. Isso é uma coisa que a arbitragem entende dessa forma e o expulsou. Isso vai ser sempre assim, essas interpretações. Existe o quarto árbitro, o bandeira para ajudar. Eles olharam um para o outro e não se manifestaram. Mas esse empate, nestas circunstâncias foi bom-disse.

Questionado sobre as entradas de Sassá e Thiago e a não utilização de Zé Eduardo, Felipão foi direto sobre o jovem da base, mas não citou nominalmente o motivo de não colocar em campo o jogador, que teve apenas 20 minutos em campo com a camisa celeste.

-Eu não posso colocar 20 em campo. Vou colocando aqueles que acho mais talhados, dependendo dos treinamentos e do que acontece nos jogos. O Thiago foi colocado no sub-20 porque achamos que ele precisava de mais ritmo de jogo. Porém, ele entrou bem, fez aquele pivô, seu papel em campo e fiquei muito satisfeito-comentou o técnico, que dissertou sobre a noite ruim da defesa estrelada.

-Tomamos três gols, que não vínhamos tomando. Mas, também foi mérito do Guarani. Imaginamos que o time deles seria diferente do que eles estavam apresentando. Ai, dificultaram muito para nosso time e tomamos gols que não aconteciam. Agora é trabalhar para corrigir os erros-disse Felipão.

Pensando em sair da “ zona da confusão” e cuidados com a saúde

Coerente desde o início, quando afirmou que o Cruzeiro precisa primeiro sair da delicada situação na tabela, quando luta para evitar a zona do rebaixamento, Felipão manteve o discurso sem euforia, apesar da invencibilidade desde que chegou ao clube.

-Não estamos pensando em classificação neste momento temos de pensar em sair da dificuldade primeiro. pois a equipe estava sempre ali em 16º, 17º.20º. Quero mostrar a eles que o caminho é esse antes de imaginar subir. Temos de saber o momento de fazer as coisas. Primeiro, sair de onde estamos, com calma, disciplina, vontade. Portanto, é aos poucos, como o clube. É o que o Cruzeiro está fazendo. Começando a por a casa em ordem. Tomara que tenhamos êxito no futuro e estou feliz com meu trabalho. Tenho saúde para ajudar meu pessoal. Mas. temos de ter cuidado com esse vírus. Vejo as pessoas na cidade esquecendo de se prevenir. Se quiserem escutar alguém com experiência, cuidem-se-concluiu Scolari.

O Cruzeiro joga no dia 20 de novembro, sexta-feira, às 21h30, no Mineirão, contra o Figueirense. Assim, treinador da Raposa terá tempo de corrigir os erros do duelo diante do Guarani.