Federação de Treinadores emite nota de apoio a Eduardo após desabafo

A entrevista de desabafo de Eduardo Baptista, em que o técnico se mostrou extremamente irritado, rendeu uma nota de apoio da Federação Brasileira de Treinadores de Futebol (FBTF). A entidade teceu elogios ao comandante alviverde.

O motivo da irritação do técnico, que gritou nas repostas, foi uma notícia divulgada por um blogueiro de que ele escalaria o atacante Róger Guedes à pedidos do diretor Alexandre Mattos, que seria pressionado pelo agente do atleta. Além disso, o boato indicava que o treinador teria brigado com o atacante Róger Guedes antes da partida semifinal do Campeonato Paulista, contra a Ponte Preta. A versão oficial do clube é de que o jogador teve problemas físicos. Na ocasião, o comandante afirmou, entre outras coisas:

“Você pode questionar uma substituição, uma escalação, eu respeito isso. Mas vocês conhecem a minha família, me conhecem como homem, conhecem meu pai, e eu respeito vocês. Falar mentira, falar que eu sou maleável, isso é ofender o homem. Você não foi leal! Fala quem foi a fonte! Quando você dá uma notícia, fala de onde veio! Porque você está falando com um cara sério aqui dentro, que dá a vida trabalhando”.

Veja a nota completa da Federação Brasileira de Treinadores de Futebol:

“A Federação Brasileira de Treinadores de Futebol, FBTF, se solidariza com o treinador Eduardo Baptista, no episódio em que fez um desabafo emocionado na coletiva depois da vitória do Palmeiras sobre o Peñarol. Declaração que também faz referência à imprensa.

Sendo um treinador estimado, correto e dedicado, compreendemos o colega em toda sua indignação. O momento aqui citado da coletiva retrata o reflexo de uma profissão que submete a pessoa ao extremo estresse e pressão. E que muitas vezes é julgado de forma arbitrária. Por isso, cada um de nós, treinadores, entendemos e compartilhamos o que foi exposto por Eduardo Batista.

Sabemos que existe uma relação de interdependência entre o futebol e a imprensa. Por isso acreditamos e queremos que a relação seja respeitosa, digna e honesta”.