Federação Internacional de Basquete adia sorteio dos grupos para os Jogos Olímpicos de Tóquio


Em comunicado oficial, a Federação Internacional de Basquete (FIBA) anunciou o adiamento do sorteio dos grupos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. A definição dos confrontos seria realizado em Mies, na Suíça, no dia 20 de março. A entidade ainda não definiu uma nova data e irá aguardar as consequências do coronavírus. O torneio masculino começará no dia 26 de julho, enquanto que feminino iniciará um dia depois.

A seleção feminina de basquete já está fora dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o que não acontecia desde 1992. O Brasil perdeu os três jogos do Pré-Olímpico, disputado em Bourges, na França. O primeiro contra Porto Rico (91 a 89) depois para a França (89 a 72) e, por fim, para a Austrália (86 a 72).

No masculino, o Brasil vai disputar um torneio pré-olímpico que ocorrerá de 23 a 28 de junho, em quatro sedes: Split (Croácia), Belgrado (Sérvia), Kaunas (Lituânia) e Victoria (Canadá). A seleção está na chave disputada na Croácia e estreará dia 23 de junho contra a Tunísia. No dia seguinte, enfrentará os croatas. Caso avance às semifinais, disputará contra Alemanha, México ou Rússia. No regulamento, apenas o campeão de cada sede garante vaga em Tóquio 2020.

Apesar da decisão do Comitê Olímpico Internacional (COI), de dar sequência a programação normal dos Jogos, vários eventos esportivos das diversas modalidades têm cancelado ou adiado suas atividades devido à pandemia global do novo coronavírus.






No torneio feminino, as doze seleções já foram conhecidas através do Pré-Olímpico (Japão - 'País-sede', Estados Unidos, Austrália, França, Porto Rico, Bélgica, Canadá, China, Coréia do Sul, Sérvia, Espanha e Nigéria)

Já na modalidade masculina, restam apenas quatro vagas. Japão (país-sede), Austrália (melhor da Oceania na Copa do Mundo), Nigéria (melhor da África na Copa do Mundo), Irã (melhor da Ásia na Copa do Mundo), Estados Unidos e Argentina (dois melhores das Américas na Copa do Mundo), Espanha e França (dois melhores da Europa na Copa do Mundo) estão classificadas.

Na última terça, o presidente do COI, Thomas Bach reafirmou que não há motivos para medidas drásticas como adiamento ou cancelamento dos Jogos Olímpicos, já que seu início só será daqui há 4 meses. Em nota oficial, a entidade declarou total apoio e incentivo aos atletas diante da atual crise.

- A saúde e o bem-estar de todos os envolvidos nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 são a nossa principal preocupação. Todas as medidas estão sendo tomadas para salvaguardar a segurança e os interesses dos atletas, treinadores e equipes de apoio. Nós somos uma comunidade olímpica, nos apoiamos nos tempos bons e nos difíceis. Essa solidariedade olímpica nos define como uma comunidade - reiterou Thomas Bach.






Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também