Federação Francesa dispara contra a ITF: 'Não é transparente. Sucumbiu ao dinheiro'

PQR/L’ALSACE /Christelle DIDIERJEAN


Gilles Moretton, presidente da Federação Francesa de Tênis, sempre foi uma das vozes mais críticas e esta semana redobrou sua oposição com algumas palavras enfáticas ao L`Equipe.

As críticas foram direcionadas à Federação Internacional de Tênis, a ITF: "Como a competição está definida no momento e a estrutura da ITF, é impossível avançarmos na promoção e gestão do tênis. Não há nenhum tipo de transparência na ITF, mal conhecemos os detalhes do contrato pelo qual Kosmos adquiriu a direção do torneio e não temos ideia de como poderíamos abandonar esse acordo se depois de um tempo percebermos que não está ajudando o tênis mundial", disse o chefe do tênis francês.

As questões estão em cima da Copa Davis que mudou seu formato a partir de 2019. David Haggerty, presidente da ITF, sofreu um grave revés recentemente quando viu uma proposta pessoal rejeitada pelo paddle.

Moretton não vê assim, que considera que a ajuda para a promoção do rei dos esportes de raquete não é melhor do que era antes. Estas palavras enquadram-se num contexto em que David Haggerty, presidente da ITF, viu rejeitada a sua proposta de integração do paddle e do pickleball na instituição, sendo o francês um dos mais ativos para que tal desfecho ocorresse. "O que a ITF deveria fazer é focar na promoção do tênis e a antiga Copa Davis tinha boas ferramentas para isso, melhores do que a atual. No entanto, o mundo do tênis se rendeu ao poder de sedução do dinheiro", disse Gilles.