Federação Francesa de Boxe contesta relatório que aponta manipulação de lutas nos Jogos do Rio e Londres

·1 minuto de leitura


A Federação Francesa de Boxe contestou um relatório pelo canadense Richard McLaren, que sugere manipulação dos resultados da modalidade nas Olimpíadas do Rio, em 2016, e Londres, em 2012. De acordo com o advogado norte-americano, juízes estariam envolvidos na fraude de 10 lutas. Através do comunicado, os franceses afirmam que não há 'prova tangível e factual' da acusação.

+ VÍDEO: Lutador de MMA morre após nocaute em estreia no boxe sem luvas

- O processo é muito chocante, tendo em vista a seriedade e o prejuízo que essas afirmações causam aos atletas em questão, bem como à Federação Francesa de Boxe. Notamos, neste relatório, que o ex-diretor executivo francês da AIBA teria favorecido intencionalmente certos competidores, entre os quais atletas franceses - trouxe parte do comunicado, antes de encerrar:

+ Luis Porto é cortado do Mundial de Ginástica e delegação brasileira terá apenas três atletas no torneio

- Estamos aguardando as provas que sustentariam tais afirmações, que são, por enquanto, apenas hipóteses. Constatamos que nossos atletas conquistaram suas medalhas graças ao compromisso inabalável e à qualidade do boxe que produziram dentro do ringue. Prova disso é que nenhum dos seus oponentes derrotados contestou oficialmente as decisões - concluiu.

+ EUA vai rever denúncias contra ex-agentes do FBI nos escândalos de assédio sexual na ginástica

De acordo com Richard McLaren, predominava na modalidade nos Jogos Olímpicos uma 'cultura de medo, intimidação e obediência' dentre os árbitros. No documento apresentado pelo advogado canadense, o ex-presidente da Confederação Brasileira de Boxe, Luiz Boselli aparece como responsável pelas chaves das lutas, mas sem envolvimento direto nas supostas manipulações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos