Federação espanhola abre investigação por gritos racistas contra jogador

AFP
(Arquivo) O atacante do Athletic Bilbao Iñaki Williams
(Arquivo) O atacante do Athletic Bilbao Iñaki Williams

O Comitê de competição, órgão disciplinar da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), decidiu abrir uma investigação sobre os insultos racistas recebidos pelo atacante Iñaki Williams, do Athletic Bilbao, durante uma partida da Liga espanhola contra o Espanyol.

"O Comitê de competição, em uma reunião ordinária, decidiu abrir um procedimento extraordinário pelos fatos ocorridos na partida RCD Espanyol - Athletic Club do último fim de semana", informou nesta quarta-feira (29) a RFEF em comunicado oficial.

A RFEF adiantou que a investigação pretende chegar a uma conclusão em aproximadamente um mês.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

No último sábado (25), Iñaki Williams afirmou ter sido vítima de gritos racistas vindo de parte da arquibancada durante a partida válida pela 21ª rodada do Campeonato Espanhol na casa do Espanyol (1-1).

"Saio um pouco triste pelo empate, mas principalmente porque sofri insultos racistas. É algo que nenhum jogador de raça negra ou de qualquer raça quer ouvir. É algo totalmente fora de lugar", declarou Williams, de 25 anos, à emissora do clube após a partida.

De acordo com as imagens divulgadas pela emissora Movistar La Liga, que transmitia a partida, Williams foi alvo de imitações e gritos de macaco por alguns torcedores quando deixava o campo de jogo perto da bandeirinha de escanteio ao ser substituído.

O incidente foi condenado tanto pelos dois clubes como pela RFEF e pela Liga de Futebol, entre outras entidades.

O Espanyol anunciou na segunda-feira (27) ter identificado 12 indivíduos envolvidos na agressão, entre eles nove sócios que poderão ser banidos para sempre do clube. O clube catalão também enviou um relatório à polícia para que os acusados respondam pelo crime de racismo.

Leia também