'Fechou olhos para a ciência', 'sem surpresas'; veja repercussão da fala de Bolsonaro na ONU

·2 minuto de leitura
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  11-08-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado dos ministros Ciro Nogueira (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia) durante cerimônia sobre a nova política de combustíveis, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapres)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 11-08-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado dos ministros Ciro Nogueira (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia) durante cerimônia sobre a nova política de combustíveis, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapres)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Na abertura da 76ª Assembleia-Geral da ONU, nesta terça-feira (21), o secretário-geral da entidade, o português António Guterres, fez um alerta sobre o que chamou de "surto de desconfiança e desinformação", que colocam em risco os direitos humanos e o combate à pandemia.

Na sequência, o presidente Jair Bolsonaro, o primeiro chefe de Estado a discursar, fez ataques à mídia, defendeu remédios e tratamentos sem eficácia contra a Covid-19 e deu declarações distorcidas sobre o combate ao desmatamento no Brasil.

A fala de Bolsonaro foi bastante criticada por diversas organizações. A ONG Human Rights Watch afirmou que o presidente brasileiro "fechou os olhos para a ciência" e "não mencionou os quase 600 mil brasileiros mortos" devido ao coronavírus. O Greepeace Brasil, por sua vez, apontou que "declarações falsas, distorcidas ou negacionistas de Bolsonaro são sempre recorrentes em seus pronunciamentos públicos".

O apresentador Luciano Huck, que durante muito tempo foi apontado como um presidenciável, elogiou o discurso do secretário-geral da ONU e disse que ele deu um "puxão de orelha nos líderes mundiais".

Entre os 19 líderes do G20 (composto pelas 19 principais economias mais a União Europeia) presentes no encontro, Jair Bolsonaro é o único presidente que declarou não ter tomado a vacina e disse que não iria tomar o imunizante para ir ao evento anual da Organização das Nações Unidas.

Veja algumas reações ao discurso de Bolsonaro na ONU:

"Declarações falsas, distorcidas ou negacionistas de Bolsonaro são recorrentes em seus pronunciamentos públicos. É assim que o presidente tem "respondido" aos problemas ambientais do Brasil. Não há surpresas em um discurso que não se apoia na realidade"

Greenpeace Brasil 

"Em seu discurso na ONU, Bolsonaro não mencionou os quase 600 mil brasileiros mortos pela Covid-19, o segundo maior número do mundo. Ele ignora as vidas perdidas como se não tivessem relação com a resposta desastrosa do seu governo, que fechou os olhos para a ciência."

Human Rights Watch ONG

"Um surto de desconfiança e desinformação está polarizando as pessoas e paralisando sociedades. Os direitos humanos estão sob fogo e a ciência está sob assalto [...]. Enquanto bilionários passeiam felizes pelo espaço, milhares de pessoas morrem de fome. "

Secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres na Assembleia-Geral da ONU

"Potente o discurso do secretário-geral da ONU. Ao alertar que "o mundo está à beira do abismo e se movendo na direção errada", António Guterres tratou dos desafios sociais, sanitários e ambientais com a energia que o momento exige. Um puxão de orelhas nos líderes mundiais."

Luciano Huck apresentador de TV

"Bolsonaro diz que apoia a vacinação e diz que o governo brasileiro é contra o "passaporte sanitário" e defende "tratamento precoce", dizendo que foi beneficiado por medicamentos sem eficácia comprovada pela ciência. E critica a imprensa e os países contrários a estes tratamentos."

Conectas ONG 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos