FC Barcelona anuncia que Messi deixará o clube

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·4 minuto de leitura
O craque do Barcelona Lionel Messi manda beijo após marcar um gol para o clube catalão em jogo contra o Chelsea pela Liga dos Campeões da Uefa no Camp Nou, em 14 de março de 2018
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O craque argentino Lionel Messi não assinará a aguardada renovação com o FC Barcelona e "não continuará ligado" ao clube, onde desenvolveu sua carreira em mais de 20 anos, informou o Barça nesta quinta-feira (5).

"Apesar de ter sido alcançado um acordo entre o FC Barcelona e Leo Messi e com a clara intenção de ambas as partes de assinar um novo contrato no dia de hoje, não poderá ser formalizado devido a obstáculos econômicos e estruturais", anunciou o clube em uma surpreendente reviravolta dos acontecimentos.

"Diante desta situação, Lionel Messi não continuará ligado ao FC Barcelona. As duas partes lamentam profundamente que finalmente não se possam cumprir os desejos tanto do jogador quanto do Clube", continua a nota.

O comunicado que certifica o rompimento entre as partes conclui com um agradecimento a um dos maiores jogadores da história do clube centenário espanhol, ganhador de seis Bolas de Ouro e um mito para a torcida catalã e argentina.

"O Barça quer agradecer de todo coração a contribuição do jogador ao engrandecimento da instituição e lhe deseja o melhor em sua vida pessoal e profissional", termina a curta nota.

Este não era o desfecho esperado para esta tarde, quando muitos tinham como fato que Messi assinaria a esperada renovação que o uniria até o fim de sua carreira com o clube ao qual chegou com apenas 13 anos como um menino habilidoso e baixinho de Rosario, sua cidade natal.

Mas não foi assim. Em sérias dificuldades econômicas e exigido pelo "fair-play" financeiro demandado pela Liga espanhola, o Barcelona não conseguiu chegar a um acordo com o maior artilheiro de sua história.

Veículos de imprensa davam como certo que a redução salarial que o jogador poderia ter proposto destravaria a negociação, mas não houve acordo.

O clube perde, assim, o jogador com o qual viveu sua fase mais brilhante, tendo conquistado juntos quatro Ligas dos Campeões, dez Ligas espanholas, e sete Copas do Rei, entre outros títulos, graças, em grande parte, aos 672 gols do craque que agora se despede.

- Ano de crise -

A saída do argentino põe fim à incerteza aberta há um ano, quando Messi anunciou oficialmente o desejo de deixar o clube, antes de voltar atrás para evitar um litígio judicial.

"Nunca irei a julgamento contra o Barça, é o clube que eu amo, que me deu tudo desde que cheguei, é o clube da minha vida", afirmou depois em uma entrevista ao site Goal.

Seu compromisso se refletiu em seu oitavo troféu 'Pichichi' de melhor artilheiro da Liga, o quinto consecutivo, com 30 goles em 35 partidas.

No entanto, nunca dissipou definitivamente as dúvidas sobre seu futuro: "Não tenho nada claro. Hoje estou concentrado em como a temporada termina. Então, vou decidir", admitiu em entrevista com o badalado apresentador Jordi Évole na emissora de TV La Sexta em dezembro.

- Mudança de planos -

Sob o comando de Ronald Koeman, Messi trocou o semblante sério pelo sorriso em campo, à medida que a equipe, após um começo de temporada complicado, recuperava o voo no campeonato espanhol, onde acabaria em terceiro lugar, atrás do Atlético e do Real Madrid.

Eliminado nas oitavas de final da Champions, o Barça terminou a temporada com a Copa do Rei como seu único troféu, mas o time se superou.

"É muito especial ser o capitão desta equipe em que estou a vida toda", dizia Messi após erguer a Copa do Rei em abril passado, destacando de passagem a melhora do Barça com uma mistura de experiência (Messi, Busquets, Alba) e juventude (Frenkie de Jong, Pedri).

A volta de Joan Laporta à presidência do clube, em março, após eleições nas quais Messi votou pela primeira vez após quase duas décadas no clube, e a saída de Josep María Bartomeu, ajudaram a acender o otimismo de uma operação que parecia fechada.

Ainda mais após a contratação de seu bom amigo, Kun Agüero, que parecia suprir a dolorosa saída de Luis Suárez no ano anterior, e após conseguir por fim, há algumas semanas, o objetivo que era sua obsessão: levantar uma Copa América com a Argentina. Ainda por cima jogando na casa do arquirrival, o Brasil.

Mas após ter marcado uma era no Barça, onde é quem conquistou mais troféus (35), a 'Pulga' volta sair de casa, agora transformado em uma lenda.

rs/iga/mvv

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos