Fauci pede que americanos evitem festas de comemoração do 'Super Bowl'

·2 minuto de leitura
O doutor Anthony Fauci advertiu que festas por ocasião do Super Bowl podem causar um alto contágio de covid-19 nos Estados Unidos

Os americanos devem evitar os salgadinhos e as bebidas compartilhados com amigos enquanto assistirem ao 'grande jogo' do ano na NFL porque se o fizerem, a covid-19 poderia invadir os festejos no primeiro domingo, quando o país vai parar para acompanhar o Super Bowl.

O doutor Anthony Fauci, assessor médico do presidente americano, Joe Biden, advertiu nesta quarta-feira (3) que pode haver um aumento de casos do coronavírus em todo o país se as pessoas organizarem ou participarem das tradicionais festas do Super Bowl, no próximo fim de semana.

"Por mais divertido que seja se reunir para uma grande festa do Super Bowl, agora não é o momento de fazê-lo", disse Fauci em uma aparição no programa Today, da NBC.

Quatrocentas e cinquenta mil pessoas morreram nos Estados Unidos do coronavírus, que começou a cancelar os eventos no país em março do ano passado, seis semanas depois do Super Bowl de 2020.

O jogo do campeonato da NFL deste ano, o Super Bowl 55, confrontará o campeão defensor do título Kansas City Chiefs e os Tampa Bay Buccaneers, do superastro Tom Brady no campo local dos Bucs em Tampa, Flórida.

"Assistam e apreciem o jogo, mas façam-no com sua família ou pessoas do seu lar", sugeriu Fauci.

"Desta vez, simplesmente fiquem tranquilos".

As festas são uma tradição do Super Bowl nos Estados Unidos, com amigos e famílias que se reúnem para socializar e assistir à transmissão do jogo pela televisão, inclusive o show do intervalo e os anúncios publicitários mais surpreendentes da temporada.

"Cada vez que temos algo como isto, sempre há um aumento (de contágios), seja nas férias, Natal, Ano Novo, Ação de Graças", destacou Fauci em declarações à NBC.

Um público limitado a cerca de 25.000 espectadores no Super Bowl incluirá 7.500 trabalhadores da saúde vacinados.

"Acho que estão tentando manter as pessoas suficientemente separadas nas arquibancadas, com máscaras, para que não tenham proximidade", disse Fauci ao Good Morning America, da ABC.

js/rcw/meh/gfe/mvv