Fato raro e recorde ajudam a explicar a vitória e a atuação do Vasco sobre a Ponte Preta. Confira

·1 minuto de leitura


Foi uma das melhores - para muitos a melhor - atuação do Vasco sob as ordens de Lisca. A vitória sobre a Ponte Preta, que pôs fim às três derrotas seguidas, contou com dois fatores relevantes, e que seguem de referência para a sequência da recuperação. Até porque você já leu aqui que o segundo turno cruz-maltino precisará ser histórico para carimbar o acesso à Série A do Campeonato Brasileiro.

O primeiro fator foi o número de desarmes. Diante da Macaca, o time de São Januário roubou bola como ainda não havia feito nesta Série B. Foram 21 desarmes. Um número que supera em 65% a média da equipe na competição. Nos dois jogos anteriores, por exemplo, o número não passou de 13. Não havia chegado a 20 ainda. Quem desarma mais tem mais, se não cria ao menos tira do adversário a chance de criar chances de gol.

-> Confira a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

Outro fato importante que aconteceu no último domingo foi a inviolabilidade da defesa. Para além da segurança apresentada por um ou outro jogador, o setor passou ileso. A tão problemática retaguarda do Vasco não foi vazada e esta foi somente a quinta vez no campeonato. Para se ter ideia da importância: sempre que isso aconteceu o time venceu. Pela última vez, contra o Vila Nova, por exemplo.

Nem só de números vive o futebol, longe disso. Às vezes, porém, eles ajudam a explicar problemas profundos. Parece o caso. E os dados acima são do Footstats.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos