Farmacêutico que sabotou 500 doses de vacina nos EUA acreditava em teoria da conspiração

Redação Notícias
·1 minuto de leitura
Clinical Trial - Vaccine: Covid-19, Coronavirus in vial with syringe on white background. Fake label.
O farmacêutico é acusado de remover 57 frascos de vacina Moderna de um contêiner de armazenamento no hospital. (Foto: Getty Images)

Preso na quinta-feira passada por danificar cerca de 500 doses da vacina contra a Covid-19, o farmacêutico Steven Brandenburg alegou que cometeu o crime por "acreditar que o imunizante faz mal às pessoas".

As informações são da polícia de Grafton, que investiga o caso. Brandenburg é acusado de remover 57 frascos de vacina Moderna de um contêiner de armazenamento no hospital Aurora Medical entre os dias 24 e 25 de dezembro.

Num documento obtido pela emissora WTMJ e escrito por um detetive da polícia de Grafton, consta que Brandenburg disse aos investigadores que ele acreditava que a vacina "não era segura para as pessoas e poderia prejudicá-las e alterar seu DNA".

Leia também

O farmacêutico ainda admitiu que a adulteração foi "um ato intencional".

Outro funcionário da unidade de saúde foi quem encontrou os frascos fora do refrigerador e colocou o material novamente na prateleira. Ele disse à polícia que alertou Brandenburg, e que o farmacêutico teria informado que apenas tirou os frascos do local para ter acesso a outro material.

Ao menos 57 doses que ficaram fora do local de armazenamento foram usadas no dia 26 de dezembro. A princípio, acredita-se que todas perderam eficácia, mas ainda serão realizados testes.

Brandenburg acabou demitido e ainda não foi acusado formalmente. Na terça-feira, a polícia emitiu um comunicado dizendo que os promotores estão aguardando informações adicionais dos investigadores antes de abrirem o processo.

Ele poderia responder por danos à propriedade e por colocar a vida de outras pessoas em risco. A perda total das doses também será considerado um agravante.

do Extra