Família Grael entra no seleto ranking de clãs medalhistas olímpicos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Martine Grael e Kahena Kunze comemoram depois de vencer a medalha da vela classe 49er FX nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. (Foto por Huang Zongzhi / Xinhua via Getty Images)
Martine Grael e Kahena Kunze comemoram depois de vencer a medalha da vela classe 49er FX nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. (Foto por Huang Zongzhi / Xinhua via Getty Images)

Um alvo em forma de veado que se deslocava mecanicamente pelo campo. Ao atingi-lo com um tiro de rifle, Oscar Swahn abriu uma coleção memorável. 

Entre 1908 e 1924, ele e seu filho Alfred Swahn conquistaram seis ouros, quatro pratas e cinco bronzes em diversas categorias, somando 15 medalhas. São os suecos que abrem o ranking de famílias recordistas em pódios olímpicos.

Leia também:

Junto com os sobrenomes Gerevich (Hungria), Ono (Japão), Joyner (EUA) e Carlberg (Suécia), todos eles catalogados no sistema de busca de atletas e medalhistas do site olympics.com, os Swahn celebram esse longevo status de campeões de mesmo sangue. 

É possível montar, a partir desse banco de dados, coleções compartilhadas entre pais e filhos, entre irmãos, entre tios e sobrinhos. 

A família Grael, que se notabilizou nacionalmente pela prática de modalidades de vela, está entre os dez clãs com mais medalhas, somando nove. 

Martine Grael e Kahena Kunze durante a cerimônia de premiação da medalha de ouro. (Foto: REUTERS/Carlos Barria)
Martine Grael e Kahena Kunze durante a cerimônia de premiação da medalha de ouro. (Foto: REUTERS/Carlos Barria)

Os Grael ganharam posição no seleto grupo de clãs olímpicos nestas Olimpíadas, com o bi obtido pelas brasileiras Martine Grael e Kahena Kunze em Tóquio, nesta terça-feira (3), na regata final da categoria 49er FX. 

Martine é filha de Torben Grael, que tem cinco medalhas olímpicas no currículo, e sobrinha de Lars Grael, que conquistou duas. 

Com o feito, os Grael empatam com as irmãs tenistas Serena e Venus Williams, que têm quatro ouros cada, mais uma prata na Rio-2016. 

Embora o ranking traga séries de medalhas compartilhadas com mais frequência entre irmãos ou entre pais e filhos, sobressai-se a história de dois casais. Aladár Gerevich e sua esposa, Erna Bogen Bogáti, conquistaram sete medalhas de ouro, uma de prata e três de bronze lutando esgrima. 

Depois, o filho Pál fez sua contribuição: mais dois bronzes entre 1972 e 1980. Ainda é possível incluir um nome da árvore genealógica, o pai de Erna, Albert, com uma medalha de prata em 1912. 

O outro casal é da família Ono. O ginasta Takashi Ono fez sua estreia olímpica em Helsinque, em 1952, quebrou o favoritismo soviético e, até 1964, juntou a excepcional marca de 13 pódios. 

Takashi se tornou símbolo do atletismo em um Japão que se recuperava da Segunda Guerra Mundial. Sua mulher e colega de treino, Kiyoko Ono, morta no último mês de março de Covid-19, também venceu um bronze na edição de Tóquio-1964. 

Integra ainda a lista da famílias com até dez medalhas os Joyner, que têm como protagonista a norte-americana Jackie Joyner-Kersee, dona de seis medalhas olímpicas, entre elas dois ouros no heptatlo (em 1988 e 1992) e um no salto em distância (1988). Seu irmão Al Joyner tem um ouro no salto triplo em Los Angeles (1984). Ele casou-se com a velocista Florence Griffith-Joyner, que colecionou três ouros em Seul. 

Nas Olimpíadas do Rio, em 2016, os já campeões olímpicos Lars Grael e Torben Grael carregando a chama olímpica. (Foto Chris McGrath/Getty Images)
Nas Olimpíadas do Rio, em 2016, os já campeões olímpicos Lars Grael e Torben Grael carregando a chama olímpica. (Foto Chris McGrath/Getty Images)

Famílias com 10 medalhas ou mais 

15 MEDALHAS 

Família Swahn (entre 1908 e 1924, Suécia)  

  • Modalidade - tiro 

14 MEDALHAS 

Família Gerevich (entre 1932 a 1980, Hungria)  

  • Modalidade - esgrima 

Família Ono (entre 1952 a 1964, Japão) 

  • Modalidade - ginástica olímpica 

12 MEDALHAS 

Família Joyner (entre 1984 a 1996, EUA) 

  • Modalidade - atletismo 

Família Carlberg (entre 1908 a 1924, Suécia) 

  • Modalidade - Tiro 

11 MEDALHAS 

Família Kenny (entre 2008 a 2016, Grã-Bretanha) 

  • Modalidade - ciclismo 

Família Gyarmati (entre 1948 a 1972, Hungria)  

  • Modalidades - Natação, polo-aquático e canoagem 

10 MEDALHAS 

Família Nadi (entre 1912 a 1920, Itália)  

  • Modalidade - Esgrima 

Família Tsukahara (entre 1968 a 2004, Japão) 

  • Modalidade - Ginástica 

9 MEDALHAS 

Família Grael (entre 1984 e 2021, Brasil) 

  • Modalidade - Vela 

Família Williams (entre 2000 e 2016 , EUA) 

  • Modalidade - Vela 

Família Montano (entre 1936 e 2012, Itália) 

  • Modalidade - Esgrima 

Fonte: site olympics.com

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos