Falou demais? Treinos apontam Marinho como uma das última opções de Renato

Fábio Utz Iasnogrodski
90min

O perdão por parte do ​Grêmio ocorreu, mas Marinho precisará mostrar em campo que tem condições de dar a volta por cima em 2019. Depois de um primeiro semestre com a camisa tricolor bem abaixo da expectativa, o atleta viu sua vida se complicar na Arena durante as férias, quando praticamente se ofereceu para jogar no Flamengo em um vídeo vazado por um de seus amigos. Embora o fato tenha sido entendido como um "deslize", o "castigo" vem nas entrelinhas.


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Já segue a gente no Instagram? ​Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!



Nos primeiros testes da pré-temporada azul, o atacante não apareceu nem no time reserva, sinal de que ele terá um longo caminho a percorrer para corresponder à confiança depositada pelo técnico Renato Portaluppi quando da sua contratação - seu nome foi uma indicação do comandante da equipe, e foram investidos cerca de R$ 10 milhões para tirá-lo do futebol chinês na metade do ano passado. “Acredito que ele tenha se precipitado um pouco, mas é jogador do Grêmio e está tudo sob controle. Já pediu desculpas e está trabalhando normalmente. Está perdoado. Bola para frente”, disse o treinador.


Até aqui, Marinho participou de 16 partidas pelo clube e marcou apenas um gol. Internamente, há o entendimento de que o avante precisa de tempo para se encaixar no estilo de jogo do time. No entanto, a infeliz declaração o deixa um pouco mais atrás na disputa por um lugar no time. A própria contratação do argentino Walter Montoya é um sinal de que a possibilidade de ser o substituto de Ramiro ficou ainda mais remota, já que Alisson é outro que aparece bem à frente nesta disputa. Talvez um bom Campeonato Gaúcho seja a salvação do jogador, que recentemente despertou interesse de Santos, Atlético-MG e Ceará. Porém, nenhuma conversa avançou, e tudo indica que será mesmo em Porto Alegre que precisará retomar o seu status. Mas, por óbvio, sentindo a pressão de uma torcida que não gostou nem um pouco do que ouviu ainda em dezembro.


Leia também