Falhas do Corinthians contra o Juventude acirram concorrência em 'posição problema'

Com Giuliano e Yuri, Mosquito comemora um dos gols do Timão sobre o Papo (Foto: Rodrigo Coca/Ag.Corinthians)


Desde que Gustavo Mantuan deixou o Corinthians, sendo emprestado ao Zenit, da Rússia, na negociação que envolveu a chegada de Yuri Alberto ao Timão, o clube alvinegro não conseguiu encontrar o jogador ideal para ocupar o lado esquerdo de ataque.

+ Manto do Corinthians: veja os modelos finalistas para quarta camisa do Timão em 2023

Neste momento, a disputa pela vaga é intensa entre Gustavo Mosquito e Adson. O primeiro vinha tendo uma vantagem, principalmente pensando nos jogos decisivos da Copa do Brasil, contra o Flamengo, nos dias 12 e 19 de outubro, mas as falhas no empate em 2 a 2 contra o Juventude, na última terça-feira, pelo Campeonato Brasileiro, podem ter maculado um pouco as chances do camisa 19 - principalmente a segunda, que resultou no empate do clube gaúcho.

A vantagem que Mosquito possui em relação ao companheiro de posição está justamente em cumprir um papel tático que destacava Mantuan no elenco corintiano, que era de velocidade e recomposição nos corredores. No entanto, o atleta tem mostrado algumas deficiências técnicas que podem comprometer a sua vaga na final do torneio mata-mata. O lance citado acima, por exemplo, foi em uma saída de bola no campo defensivo, onde o atacante tentou sair jogando, com a cabeça baixa, entre dois atletas do Papo, acabou perdendo a bola e viu Isidro Pitta bater na saída do goleiro Cássio.

Ainda contra o Juventude, a entrada de Adson, mesmo ao lado de Mosquito, deu uma nova dinâmica ao Timão, principalmente com boas tramas pelo lado direito com Fagner, que, preservado fisicamente, também saiu do banco de reservas.

+ Confira a tabela da Copa do Brasil e simule os jogos decisivos

O que pesa contra o camisa 28 são as características mais centrais. Com Adson em campo, o Timão costuma ter o jogo concentrado mais pelo meio-campo. Além do jogador não ter tanto cacoete para recompor a marcação, algo que será fundamental para o Time do Povo nos jogos contra o Flamengo.

Em relação aos números, os de Mosquito são ligeiramente melhores quando o assunto é poder ofensivo. O camisa 19 marcou cinco gols e deu cinco assistências em 45 jogos disputados nesta temporada, até aqui, enquanto o número 28 tem o mesmo número de gols, mas somente duas assistências, com uma partida a mais no currículo.