Fagner é condenado por joelhada em Cueva e pode ficar fora da decisão

Olga Bagatini

O Corinthians pode sofrer mais uma baixa importante na finalíssima do Campeonato Paulista, no próximo domingo, contra a Ponte Preta, em Itaquera. O lateral Fagner, julgado nesta terça-feira pelo Tribunal de Justiça Desportiva de São Paulo, foi punido com um jogo de suspensão, enquanto o são-paulino Cueva recebeu apenas uma advertência. O Timão já afirmou que irá recorrer da decisão e entrará com pedido de efeito suspensivo já nesta quarta-feira.

Dos cinco votos, dois foram para a absolvição de ambos os jogadores, dois para a condenação dos dois com um jogo de gancho. O presidente do TJD, Antônio Olim, deu o voto de desempate. Ele reviu as imagens e disse que a agressão por parte do lateral corintiano foi clara, optando por puni-lo com um jogo de suspensão, e também dar a advertência a Cueva pela postura hostil.

O atrito entre os jogadores ocorreu no dia 23 de abril, no segundo jogo das semifinais do Paulistão, na Arena Corinthians. No início do segundo tempo, Fagner e Cueva se desentenderam. O são-paulino tentou atingir o corintiano com uma cabeçada e um tapa, mas não conseguiu. Na sequência, Fagner deu uma joelhada na parte posterior da coxa esquerda do meia - justamente no local onde Cueva havia acabado de se recuperar de uma lesão.

Acompanhado do diretor de futebol Flávio Adauto, o advogado do Corinthians, João Zanforlin, contestou a decisão do tribunal. Ele argumentou que a briga dos jogadores não foi citada na súmula, e sim que eles foram denunciados posteriormente com base nos vídeos da partida. Logo, suas ações não foram graves o suficiente para tirá-lo da grande final do Paulista.

- Os auditores mostraram dúvida. A decisão por 3 a 2 não pode deixar de fora da final um jogador que nem foi expulso por causa do referido lance. O Corinthians considera que a batalha não está perdida. Creio que Fagner irá jogar a final do Paulista. Houve a dúvida, e ela deve militar a favor do réu. Quem não quiser contato físico, não pode jogar futebol - disse o advogado.

Caso o pedido corintiano seja atendido, o lateral estará apto a atuar na finalíssima contra a Ponte Preta, dia 7 de maio, em Itaquera. O Corinthians tem uma boa vantagem por ter feito 3 a 0 no jogo de ida no Moisés Lucarelli, mas o time comandado por Fábio Carille já não poderá contar com o meia Rodriguinho e o volante Gabriel, suspensos pelo terceiro amarelo.

Caso o improvável aconteça e Fagner não possa atuar no fim de semana, Carille deve escalar o garoto Léo Príncipe na lateral direita alvinegra.












E MAIS: