Fabrizio Gallas: 'Djokovic vai precisar se superar no Australian Open. E não seria novidade'

Djokovic faturou mais um título neste fim de semana (MARTIN KEEP / AFP)


As dores se intensificaram. Novak Djokovic precisou ser atendido duas vezes, trocou a bandagem, tomou um medicamento e em 20, 30 minutos melhorou e conseguiu a vitória. Enzo Couacaud não seria um rival difícil a ser batido, mas com dores acabou sendo.

Estamos apenas indo para a terceira rodada do torneio com rivais como Dimitrov a seguir, possível De Minaur nas oitavas, Rublev ou Rune nas quartas e ainda uma semifinal.

Será que o sérvio irá suportar as dores ?

Vai ter que se superar. Muita fisioterapia, antiinflamatórios. Fazer um pouco o que Nadal fez no último Roland Garros onde jogou com o pé dormido por boa parte do evento.

Ou fazer algo que o próprio sérvio fez em 2021 onde sentiu dores no abdômen desde a partida contra Taylor Fritz, sofreu nas rodadas a seguir, mas voou e foi campeão com uma final brilhante contra Daniil Medvedev.

O torneio que parecia estar sob seu domínio diante de tantos favoritos eliminados ganha contornos de drama. E os rivais estão de olho e com chances maiores para nomes como Medvedev, Tsitsipas e até o grupo acima adicionado por Aliassime, Sinner e porque não Cameron Norrie, não é ?

Curtinhas:

Nadal com lesão grau 2 na principal articulação do quadril. Preocupante. Previsão inicial que volte a jogar em até oito semanas, ou seja, dois meses parado perdendo os torneios Masters 1000 nos EUA. Só deve voltar no saibro.