Fabiana Silva estreia com derrota no torneio de badminton em Tóquio

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A brasileira Fabiana Silva, 32, estreou no torneio de badminton das Olimpíadas de Tóquio-2020 com derrota para a ucraniana Maria Ulitina. O jogo foi definido em dois sets, com parciais de 21/14 e 22/20, nesta segunda-feira (26).

Fabiana teve chance de triunfar no segundo set, mas a ucraniana conseguiu uma recuperação impressionante e fechou o jogo.

A brasileira poderia ter sido atleta olímpica da vela. Morava em Niterói, cidade que ela chama de celeiro de velejadores, e fazia parte do Projeto Grael, idealizado por Torben e Lars Grael.

O pai acreditava tanto no potencial da filha que se esforçava para financiar as viagens para competir em outros estados. Mas aos 13 anos ela conheceu o badminton e teve que explicar ao pai que havia decidido trocar a vela pelo esporte que ele conhecia apenas como peteca.

"Foi a modalidade que me cativou, não sei nem explicar. Tive a chance de fazer o que gosto. Tenho amor pelo badminton", afirma.

Após ficar na reserva na Rio-2016, ela enfim tem chance de jogar. Mais: é a única representante feminina do Brasil na modalidade. No masculino, Ygor Coelho está classificado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos