F1: Russell revela principais lições que aprendeu com experiência na Mercedes

Jonathan Noble
·2 minuto de leitura

George Russell foi convocado pela Mercedes para o GP de Sakhir, depois que Lewis Hamilton testou positivo para o novo coronavírus.

O inglês impressionou no fim de semana e teve uma boa chance de vencer a corrida antes que um pitstop malfeito e um furo de pneu no final da corrida acabassem com suas chances.

Leia também:

F1: Marko diz que Russell nunca foi considerado para vaga de Albon na Red Bull Russell sugere mudanças na Williams após experiência na Mercedes Russell: volta à Williams foi mais difícil do que ida à Mercedes

Tendo retornado à Williams para a corrida de Abu Dhabi, Russell disse que apenas uma prova na Mercedes já havia lhe ensinado algumas lições importantes que serão valiosas para o futuro.

“Acho que a coisa que mais aprendi é que você precisa ser adaptável”, explicou Russell. “Meu estilo de direção que fiz na Williams realmente me machucou um pouco na Mercedes.”

“Então, quando voltei para a Williams e tentei implementar algumas das coisas que fiz naquela corrida do Bahrein, eu não consegui, acho que isso meio que reforçou para mim que você tem que ser mente aberta e você tem que se adaptar a tudo o que o carro está oferecendo.”

“Então, se um cara guia de um jeito na Mercedes, isso não significa que você pode guiar assim em uma Williams e vice-versa.”

A forte exibição de Russell pela Mercedes o colocou na fila para um assento em tempo integral na equipe em 2022.

Atualmente, o contrato de Valtteri Bottas ali se esgota no final de 2021, enquanto o próprio acordo de Russell com a Williams também termina.

Russell sabe que nada pode ser dado como certo quando a Mercedes decide o que quer fazer, e é por isso que ele precisa abraçar a situação em que se encontra na Williams.

Questionado sobre o que sentia que precisava fazer em 2021 para garantir aquele assento na Mercedes em 2022, Russell disse: “Acho que é dar continuidade à forma e manter a atitude positiva interna e externamente com a equipe.”

“Não estou ficando frustrado com o fraco desempenho aqui. Acho que a Mercedes acredita em mim, eles me deram a oportunidade e sempre me apoiaram.”

“Agora é meio que meu dever permanecer fiel, e não mudar repentinamente ao longo do próximo ano por causa de certas circunstâncias, e me transformar em algo que não sou atualmente.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Confira DEZ motivos para ficar ligado na temporada de 2021 da F1

PODCAST: Quem ou quais foram os maiores fiascos da F1 em 2020?

Your browser does not support the audio element.