F1: Ricciardo brinca que "quadris largos" criam dificuldades para entrar no carro da McLaren

Redação Motorsport.com
·3 minuto de leitura

Daniel Ricciardo disse que teve problemas para entrar no novo carro da McLaren. No lançamento do modelo, que aconteceu na segunda-feira (15), o piloto explicou que teve que lutar para se encaixar no MCL35M.

Em 1995, Nigel Mansell teve dificuldades para entrar na McLaren, e agora o novo piloto da equipe, depois de lutar para se encaixar no novo carro, revelou o que o estava causando problemas.

Leia também:

F1: Mercedes já pensa "seriamente" sobre impacto das regras de 2022 Norris vê F1 como "mundo injusto" ao analisar saída de Albon da Red Bull Vettel coloca a venda oito carros de sua coleção particular, incluindo cinco Ferraris; conheça modelos e valores

Questionado sobre o assunto na apresentação do MCL35M em um evento virtual, o australiano descreveu seus quadris como o “fator limitante”, Ricciardo disse que a cabine compacta do novo monoposto tornou a sua entrada bem complicada.

“É bastante normal”, disse ele ao falar sobre a frequência com que isso era um problema para ele com os novos carros de F1.

“Eu tenho quadris largos. Eu tenho ossos bem grossos, eu acho, mas entrei!”

“Foi a primeira maquete de um assento, e com as dimensões que eles tinham, presumia que o que seria bom para mim, e isso não era muito bom.”

“Felizmente, era apenas o assento. Desde então, tenho conseguido me sentar e me encaixo.”

No entanto, Ricciardo, acredita que suas dimensões estão maximizando as soluções das cabines dos carros de F1 modernos.

“Sinto que sou certamente o limite. Você sabe, eu acho que a maneira como eles projetam os carros e o chassi agora, tudo está tentando ser o mais justo e compacto possível. Então, realmente, meus quadris às vezes são o fator limitante.”

“Eu apenas digo a eles: 'Certifique-se de que estou confortável, e se você acha que isso faz com que perca um décimo da aerodinâmica, então vou dirigir mais rápido na pista!'”

Questionado sobre o que era mais difícil de se adaptar na McLaren, o australiano respondeu: “Acho que se encaixar, em termos de sentir que você faz parte da equipe”

“Estar integrado, não apenas no lado motriz, mas no lado da engenharia e da estratégia.”

“É como se você estivesse sentado na sala com uma voz e com conhecimento suficiente para que o que você disser seja levado em consideração.

“Acho que essa integração em todas as áreas da equipe, provavelmente tem muito mais poder do que ser apenas piloto.”

O piloto comentou sobre a experiência de ter um companheiro de equipe tão jovem como Lando Norris, e aproveitou para elogiar o britânico.

“Eu sinto que estou dando um passo atrás no que aconteceu com Ocon e com Max. Eu sou o velho agora”, disse.

“Certamente vou buscar o Lando e aprender com ele e com a equipe. É seu terceiro ano na McLaren”

“Portanto, nos dias em que estou fora do carro, certamente estarei ouvindo com atenção e tentando aprender o máximo que puder”, concluiu.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

F1: Saiba TUDO que envolve os LANÇAMENTOS dos CARROS da TEMPORADA 2021

Podcast #088 - F1 na Band e o 'fico' de Hamilton: o que esperar de 2021?

Your browser does not support the audio element.