F1: Red Bull quer decisão sobre motor para 2022 até o final de novembro

Luke Smith
·3 minuto de leitura

A Red Bull quer tomar uma decisão sobre seu futuro com relação aos motores a partir de 2022, enquanto segue em busca de aprovação para o congelamento ao longo da temporada. A Red Bull e a AlphaTauri estão atualmente sem um fornecedor a partir de 2022, depois que a Honda anunciou no início de outubro que deixará a Fórmula 1 no final do próximo ano.

Em vez de buscar um fornecedor alternativo de unidades de potência, a Red Bull está ansiosa para adquirir o programa da Honda para uso após 2021, na condição de que a F1 aprove o congelamento do desenvolvimento de motores com os outros fabricantes.

Leia também:

Norris sente que carros da F1 estavam fazendo tempos de “F2 ou F3” F1: Magnussen critica voltas rápidas sob bandeira amarela no Q1 Albon diz que F1 teve sorte de não ter “acidente grande” em classificação do GP da Turquia

A Mercedes apoia o congelamento do motor, mas tanto a Ferrari quanto a Renault se opõem à proposta. O chefe de equipe da Red Bull, Christian Horner, disse que houve "discussões bastante produtivas" com a F1 e a FIA sobre os planos futuros dos motores nas últimas semanas, e que seria um desperdício deixar os motores da Honda sem uso.

“Obviamente, existem alguns elementos-chave que precisam estar no lugar antes de fazer qualquer compromisso sobre os planos futuros de motor, em relação ao congelamento do motor e assim por diante”, disse Horner.

“Nossa opção preferida seria continuar com a unidade de potência que está no carro no próximo ano, obviamente rebatizada como outra coisa, se pudermos fazer um acordo com a Honda quanto ao uso do IP e o produto daqui para frente”.

“Seria uma grande pena ver esses motores apenas em um depósito em algum lugar do Japão. Sujeito a quais são os regulamentos, a rota preferencial seria encontrar um acordo para continuar com essas unidades de energia”.

Com as equipes autorizadas a começar o desenvolvimento dos projetos de seus carros para 2022 a partir de 1º de janeiro, a Red Bull tem esperança de finalizar seus planos de fornecimento de motores para o próximo ano no futuro próximo.

Horner disse que, embora o chefe técnico da Red Bull, Adrian Newey, esteja contente em deixar uma decisão tardia, a equipe idealmente precisava saber o que estaria fazendo no final do mês. "Adrian é sempre o último dos freios tardios nesse tipo de coisa, então ele vai esperar por qualquer que seja a melhor opção", disse Horner.

“Mas é claro que há algumas coisas práticas que precisam ser decididas. A questão do motor demanda um longo tempo de espera”.

“Se fôssemos assumir um projeto como esse, então seria muito trabalho nos bastidores que obviamente precisaria acontecer e ser implementado”.

“Realmente, até o final deste mês, precisamos firmar uma posição”.

Caso a Red Bull não consiga obter um acordo sobre o congelamento do motor, sua alternativa mais provável seria reacender sua antiga parceria com a Renault.

De acordo com as regulamentações esportivas, a Renault seria obrigada a fornecer unidades de potência à Red Bull e AlphaTauri caso as equipes apresentassem um pedido à FIA, embora exigir esse gatilho regulamentar seja considerado improvável.

Todas as notícias sobre o GP da Turquia de F1 você acompanha no site do Motorsport.com e em nosso canal no YouTube. Fique por dentro de todas as novidades e análises, além de conferir nossos programas e vídeos!

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Hamilton despista sobre Rosberg, analisa Bottas e ‘esquece’ Alonso; assista e entenda

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da F1 2021 é o mais correto? Ouça o debate

Your browser does not support the audio element.