F1: Red Bull, McLaren e Renault não farão testes antes do GP da Áustria

Franco Nugnes
motorsport.com

Mercedes e Ferrari correrão, Red Bull, Renault e McLaren não. A volta da Fórmula 1 para a primeira corrida de 2020 será mais complicada que o esperado: com o GP da Áustria em vista, algumas equipes pensaram que seria bom colocar seus pilotos de volta nos carros para desenferrujar após a longa parada devido à pandemia, mas nem todas pensam assim.

A Mercedes vai ser a primeira a retomar as atividades. Valtteri Bottas, amanhã, e Lewis Hamilton na quarta, vão à pista de Silverstone com o carro de 2018, ajudando também os mecânicos a se familiarizar com os novos protocolos de distanciamento.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Brawn: falta de diversidade na Fórmula 1 "começa na base"Alfa Romeo: Leclerc é uma mistura de Raikkonen com SchumacherF1: Teto pode levar Mercedes a correr em outras categorias para manter pessoal

A Ferrari vai fazer o mesmo mais tarde, na pista de Fiorano, antes de partir para a Áustria. A F1 proíbe os testes com os carros atuais, mas não coloca limites de quilometragem se elas colocarem na pista carros de dois anos atrás com os pneus atuais.

Mas a Red Bull e a McLaren não terão a mesma oportunidade. A equipe austríaca tem o RB14 pronto para correr, mas, por ser um carro que usava unidades de potência da Renault, não poderão ir à pista com eles.

O mesmo não se aplica à McLaren, que já usava motores Renault no MCL33. A equipe de Woking, no entanto, deveria submeter o motor francês às regras de quarentena, que foram implementados pelo governo do Primeiro-ministro Boris Johnson nesta segunda-feira.

Esta é a desculpa oficial, mas, na equipe liderada por Andreas Seidl, as razões são diferentes: o motivo é a grave crise que a montadora atravessa, com isso a prioridade não seria realizar um teste fora do planejado.

Por isso que Lando Norris tem aproveitado os últimos dias e as boas relações com a Carlin para adquirir quilometragem. O piloto andou com um carro de Fórmula 3 da equipe em Silverstone. Já Sainz está buscando uma solução similar para esticar as pernas antes do início da temporada 2020.

Já a Renault se encontrou em uma situação dividida entre a sede da equipe em Enstone e a área de fabricação de motores na França, na cidade de Viry Chatillon. As implicações relacionadas à quarentena levaram a equipe a desistir de um teste antes do GP da Áustria. 

As outras cinco equipes da F1, Haas, Williams, Racing Point, AlphaTauri e Alfa Romeo, ainda não anunciaram se têm planos de realizar testes antes do início de julho.

Live com di Grassi: bastidores da F1, rivalidade com Nelsinho, F-E e Le Mans

PODCAST: Entrevista com Rubens Barrichello: os bastidores da carreira do recordista de provas da F1

Your browser does not support the audio element.

Leia também