Raikkonen: "Voltas extras no TL3 melhoraram desempenho da Alfa Romeo"

James Newbold
·3 minuto de leitura

Kimi Raikkonen e a Alfa Romeo conquistaram um ótimo resultado para a escuderia na classificação do GP da Turquia da Fórmula 1. O finlandês e seu companheiro, Antônio Giovinazzi, colocaram os dois carros no Q3 e largam do oitavo e 10º lugar, respectivamente. Logo no 500º GP da equipe fundada como Sauber em 1993.

Foi a primeira vez que a Alfa alcançou o Q3 em toda a temporada, a escuderia suíça não largava entre os dez primeiros com seus dois pilotos desde o GP da Áustria de 2019. Segundo Raikkonen, as voltas extras que a equipe completou sob forte chuva no final do TL3 ajudaram a maximizar o desempenho na qualificação.

Leia também:

Stroll brilha na chuva e crava a pole para o GP da Turquia de F1 F1: Verstappen chama resultado da classificação de "frustrante" Terceiro colocado no grid, Pérez valoriza desempenho da Racing Point na Turquia: “muito satisfeitos”

Os carros suíços estavam entre os poucos que decidiram se aventurar na chuva cada vez mais forte durante a sessão de treinos da manhã de sábado, com direito a escapada de Giovinazzi na Curva 3.

Apesar dos tempos de voltas pouco representativos, Raikkonen disse que a experiência foi uma valiosa oportunidade de aprendizado para a equipe e contribuiu para seu forte desempenho de qualificação, que superou, inclusive, a Mercedes de Valtteri Bottas.

Em declarações à Sky, ele disse: "Definitivamente, na manhã lutamos como loucos e, felizmente, tentamos fazer algumas mudanças e dar algumas voltas enquanto as condições estavam péssimas e acho que ajudou um pouco na qualificação. Ainda não é uma sensação agradável, mas pelo menos acho que é a mesma coisa para todos e não fomos tão ruins. Com certeza nos beneficiou estar neste tipo de condições na pista."

Raikkonen, que ultrapassou Rubens Barrichello como o piloto com mais corridas na F1 no GP de Eifel, acrescentou que as condições da pista são "uma das piores" que ele experimentou em sua longa carreira.

"Foi tão fácil conduzir o carro que perdi o controle em uma das voltas ao sair da brita", disse ele. "No entanto, conseguimos tirar o melhor proveito disso."

Giovinazzi lutou no Q3 para trocar seus pneus intermediários e acabou 9,46s mais lento do que o pole provisório Lance Stroll, mas disse que o segredo"de seu desempenho na qualificação - incluindo o quinto tempo mais rápido no Q2 - foi "permanecer na pista".

"Hoje foi muito complicado, a confiança subia volta após volta", disse o italiano, cuja melhor qualificação até este sábado era o 14º lugar no GP de Eifel. "Eu comecei devagar e nas últimas voltas fui com tudo. No Q2 funcionou, no Q3 infelizmente usei pneus intermediários, que não renderam. Então foi realmente difícil."

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Q4: Assista ao debate sobre a "impossível" classificação chuvosa para o GP da Turquia de Fórmula 1

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' da 2021 da F1 é o mais correto?

Your browser does not support the audio element.