F1: A lição de Portimão que poderia transformar Barcelona segundo Ricciardo

Jonathan Noble
·3 minuto de leitura

Daniel Ricciardo acredita que a Fórmula 1 deve levar em consideração por que a pista de Portimão proporcionou tão boas corridas no último final de semana - especialmente porque isso pode ajudar a melhorar circuitos como o de Barcelona.

Embora não se esperasse que o circuito do Algarve apresentasse muitas oportunidades de ultrapassagem, o GP de Portugal transformou-se num suspense com diversas manobras espetaculares.

Leia também:

ANÁLISE: Por que não faz sentido dizer que a Ferrari está atrapalhando Vettel ANÁLISE: Por que os comentários ofensivos de Verstappen na F1 ganham passe livre? Gasly fica na AlphaTauri e Albon pode deixar a F1 em 2021; entenda

Além disso, o layout deu a chance para uma série de batalhas roda com roda que se prolongou por várias curvas enquanto os pilotos lutavam por uma posição. Ricciardo acredita que dois fatores estavam em jogo no domingo - o primeiro sendo a superfície da pista e o segundo, mais importante, a natureza da curva final.

“Eu diria que uma das tendências é a alta velocidade na última curva”, disse o piloto da Renault. "Isso realmente dá a você uma chance de pegar o vácuo desde o início. É um pouco como Mugello”.

"É uma última curva bastante rápida e você pode pegar o vácuo muito antes. Quando você olha para Barcelona e acelera para sair de uma chicane lenta, há aquele efeito de sanfona onde você sabe que o carro já está sem tração”.

"Quando você pega o vácuo, já está na metade da reta, é tarde demais. Então, acho que uma curva de alta velocidade para entrar na reta ajuda muito porque você pode pegar o vácuo e isso ajuda nas ultrapassagens”.

"Então, eu também acho, só que a superfície da pista é tão escorregadia. Houve erros e era fácil, se você mantivesse uma linha limpa e o outro carro não mantivesse, pegar um vácuo ou aproveitar uma oportunidade”.

Ricciardo diz que a lição de Portimão é que ele gostaria de ver Barcelona voltar a sua configuração original de uma curva final de alta velocidade.

A chicane que se utiliza atualmente foi introduzida em 2007, com o objetivo de tentar ajudar nas ultrapassagens. Na época, sentiu-se que ter uma curva lenta como uma chicane numa longa reta, seguida de outra curva apertada, era o caminho certo a seguir.

No entanto, Ricciardo sugere que a geração atual de carros pode ser melhor tendo uma curva de alta velocidade nas retas.

"Adoraria voltar ao antigo circuito [de Barcelona] com o antigo último setor", acrescentou Ricciardo. "Acho que as ultrapassagens mudariam dramaticamente nessa pista, então esperamos que possamos fazer isso acontecer”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

Norris IRONIZA e DIMINUI recorde de Hamilton, mas volta atrás e pede DESCULPAS; entenda a polêmica

PODCAST: O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

Your browser does not support the audio element.

.