F1: Chefe da Haas, Steiner admite ter pilotos pagantes em 2021

Luke Smith
motorsport.com

, Gunther Steiner afirmou que não descarta ter pilotos pagantes na formação de 2021 do time norte-americano. Atualmente, a equipe com a dupla Kevin Magnussen, da Dinamarca, e Romain Grosjean, da França. 

Ambos representam a escuderia dos Estados Unidos desde 2017, mas tiveram um campeonato repleto de erros no ano passado e causaram a irritação do chefe. O ápice das confusões se deveu a toques entre os companheiros, causando abandonos duplos para a Haas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Ricciardo diz que Renault não tem nada a perder e assumirá mais riscos na batalha de equipes da F1Em busca de solução financeira, McLaren pode fazer empréstimo junto ao Banco do BahreinSauber anuncia Academia de Pilotos com Emmo Fittipaldi entre os primeiros membros

Assim, o time caiu do quinto para o nono lugar no Mundial de Construtores, superando apenas a lanterna Williams, que somou somente um ponto em 2019. Por isso, muito se especulou sobre uma mudança nos pilotos já em 2020, mas a dupla da Haas acabou mantida.

De todo modo, com o mercado da F1 já aquecido para 2021, após o anúncio de que Carlos Sainz substituirá Sebastian Vettel na Ferrari e com a ida de Daniel Ricciardo para a McLaren confirmada para o ano que vem, os rumores sobre os pilotos da equipe dos EUA voltam à tona.

Ainda assim, Steiner garante que não chegou a pensar sobre a dupla da próxima temporada. "Acho que o mercado de pilotos se agitou mais cedo neste ano por causa da saída de Sebastian da Ferrari", disse o dirigente da Haas. "Tudo começou mais cedo, mas agora as coisas se acalmaram novamente", afirmou o italiano em uma videoconferência da qual a reportagem do Motorsport.com participou.

"Nós ainda não tivemos nenhuma conversa, sequer começamos a pensar sobre pilotos. O que queremos é voltar a correr. Tivemos que resolver muitas coisas nesse período, então minha última preocupação foram os pilotos, para ser honesto".

"É claro que eu queria garantir que eles estavam seguros, bem e tudo mais, mas nada sobre o que faremos no ano que vem. Essa hora vai chegar bem rápido, como sabemos. Mas, no momento, não tenho resposta para isso", seguiu Steiner, antes de falar sobre pilotos pagantes. Historicamente, a Haas nunca precisou do aporte financeiro de pilotos para seu orçamento de F1, com Grosjean e Magnussen sempre evitando o rótulo de pilotos pagantes. 

Em uma entrevista à dinamarquesa BT há alguns meses, Magnussen disse que, se a Haas seguisse o caminho de pilotos pagantes, ele não estaria em posição de angariar investimentos e nem gostaria de fazê-lo.

Já Steiner afirmou: "Não discutimos isso. Não discutimos pilotos, o que significa que não discutimos sobre pilotos pagantes ou qualquer coisa. Mas não incluo ou excluo nenhuma possibilidade. Isso ainda não foi discutido com o senhor [Gene] Haas (dono da equipe)".

Veja como a Williams, que tem pilotos pagantes, chegou até o ‘buraco’ da venda na F1

PODCAST Motorsport.com discute notas polêmicas do game F1 2020; ouça o bate-papo

Your browser does not support the audio element.

.

Leia também