F1: Após liderar GP de Portugal, Sainz diz que ultrapassar Mercedes foi “muito fácil”

Jonathan Noble
·3 minuto de leitura

Carlos Sainz disse que suas manobras para ultrapassar os dois carros da Mercedes e conseguir a liderança no início do GP de Portugal deste domingo (25) foram, na verdade, "muito fáceis". O espanhol tirou o máximo dos pneus macios para abrir caminho e ultrapassar Lewis Hamilton e Valtteri Bottas, além de liderar várias voltas no circuito do Algarve.

E embora ele nunca tivesse esperado passar de sétimo no grid para a liderança na segunda volta, Sainz disse que a vantagem dos pneus que ele tinha sobre os outros carros tornou tudo muito simples.

Leia também:

Hamilton vence em Portugal e supera recorde de Schumacher na F1 Hamilton se emociona após 92ª vitória e relata cãibras durante GP de Portugal

“Especialmente pilotar ao redor deles, na verdade foi muito fácil”, disse Sainz à Sky. “Na verdade, não foi uma batalha muito difícil ou algo parecido, foi apenas contorná-los como eles pilotam em torno de nós a maior parte do tempo”.

Sainz acredita que o fator chave que o ajudou foi garantir que ele tivesse aquecimento suficiente para seus pneus na volta de apresentação.

“Coloquei muita ênfase na volta de aquecimento para tentar garantir que eu colocasse os pneus na temperatura certa,” disse ele. “Então você vê alguns carros aqui com o pneu médio, outros com o macio, mas acho que aqueles poucos graus extras no pneu macio e aqueles graus extras que eu coloquei na volta de apresentação me deram esta boa primeira volta.”

No entanto, ele admite que tudo quase deu errado naquela primeira volta, quando foi pego por Hamilton freando tão cedo. “Quase bati nele porque ele estava freando muito cedo, mas pude dar a volta por fora sem problemas”, disse ele.

“Agora vejo o Valtteri e eu estava à espera, porque já não chovia, eu estava esperando que ele pegasse o ritmo. Eu não sei, eu estava super confortável”.

“Então estou em cima dele e tento mostrar meu nariz para tentar deixá-lo um pouco nervoso e olhar nos espelhos, e ele perde um pouco o ápice. Acho que mostrar um pouco o nariz fez com que ele olhasse nos espelhos e perdesse o ápice, o que me colocou na liderança”.

Sainz não conseguiu segurar a liderança por muito tempo. Quando a Mercedes alcançou a temperatura correta dos pneus, ele acabou perdendo a classificação e terminou em sexto após sofrer com granulação. Ele acha que é um problema ao qual a McLaren está particularmente exposta.

“Sim, temos lutado nas últimas corridas com as temperaturas mais baixas”, explicou ele. “O nosso carro tende a sair de frente um pouco no meio da curva, o que danifica bastante a dianteira esquerda.

“Tem sido uma característica do nosso carro recentemente, e precisamos continuar investigando o porquê, porque hoje, sem a granulação, depois de liderar na largada, acho que poderíamos ter terminado pelo menos P4, P5, com uma corrida normal”.

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PÓDIO: Hamilton deixa Schumi para trás e chega à vitória 92; o debate sobre o agitado GP de Portugal

PODCAST: O mercado da F1 para 2021 e os 30 anos do bicampeonato de Senna

Your browser does not support the audio element.