Sara Winter diz que deve perder quase R$ 10 mil do YouTube

BRASILIA, BRAZIL - JUNE 13: Sara Winter, the leader of the extreme right group "300 do Brasil" and supporter of Brazilian President Jair Bolsonaro, films with her cell phone during protest against the President amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic at the Esplanada dos Ministérios on June 13, 2020 in Brasilia. Sara Winter was arrested on June 15 by the Federal Police as part of an investigation into the financing of anti-democratic protests. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)
BRASILIA, BRAZIL - JUNE 13: Sara Winter, the leader of the extreme right group "300 do Brasil" and supporter of Brazilian President Jair Bolsonaro, films with her cell phone during protest against the President amidst the coronavirus (COVID-19) pandemic at the Esplanada dos Ministérios on June 13, 2020 in Brasilia. Sara Winter was arrested on June 15 by the Federal Police as part of an investigation into the financing of anti-democratic protests. (Photo by Andressa Anholete/Getty Images)

A extremista Sara Geromini, apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), alegou ter perdido a monetização de seu canal no YouTube após ter sido presa durante dez dias pelo inquérito que apura a realização e o financiamento de atos antidemocráticos.

“Eu descobri nesses últimos meses que fazendo live você ganha dinheiro. Enquanto eu estava aprendendo a ganhar dinheiro, tiraram a monetização. Que merda. Nesse último mês, eu fechei com mais ou menos 1,8 mil dólares [aproximadamente R$ 9,8 mil]. Não sei se esse dinheiro vai cair na minha conta”, disse Sara a jornalistas.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o canal de Sara Winter, como a extremista é conhecida, tem mais de 212 mil inscritos e foi alvo de requisição de informações determinada pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal).

Em uma das transmissões ao vivo, citadas por Sara como forma de ganhar dinheiro, a extremista afirmou que, se pudesse, iria “trocar socos” com Alexandre de Moraes. O vídeo ultrapassou 111 mil visualizações.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Sara Geromini deixou a prisão na última quarta-feira (24), mas passou a ser monitorada pelo uso de uma tornozeleira eletrônica e foi proibida de ir a manifestações.

A apoiadora de Bolsonaro integra o grupo 300 do Brasil, investigado pela Polícia Federal por organizar atos antidemocráticos, pelo fechamento do Congresso Nacional e do STF.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também