Expulsão contra o Lille mostra que Neymar segue se perdendo no próprio protagonismo

Lucas Humberto
·2 minuto de leitura

Na história do entretenimento, nem sempre os protagonistas são mais lembrados. Quem foi mais memorável em Batman: O Cavaleiro das Trevas (2008)? O herói mascarado ou seu maior rival? O Coringa, com toda certeza. No futebol acontece algo semelhante, já que muitas vezes o maior nome de uma equipe assume o holofote em duas situações completamente análogas: atuações exuberantes ou polêmicas instauradas.

Na tarde deste sábado (03), PSG e Lille se enfrentaram pela Ligue 1. A partida, que aconteceu no Parque dos Príncipes, valia a liderança do Campeonato Francês e terminou em 1 a 0 favorável aos visitantes. Era a primeira vez que Neymar, devidamente recuperado da lesão, reassumia a titularidade na equipe de Pochettino.

O brasileiro jogou bem, construiu boas chances e arrancou suspiros nervosos do torcedor com bolas que passaram milímetros do gol adversário. Entretanto, sua participação foi manchada por uma expulsão infantil e absolutamente sem propósito no final da partida. Na tentativa de pegar a bola, o atacante perdeu a paciência e empurrou Tiago Djaló. Como era seu segundo cartão amarelo, o camisa 10 recebeu também um vermelho na sequência.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Essa é a quarta expulsão de Neymar no PSG. A importância da partida deixa tudo ainda mais sério, já que os minutos finais do jogo foram totalmente tomados pela polêmica que poderia ter sido facilmente evitada com uma dose de paciência.

Expulsão justa. Quantos de nós podemos nos dar ao luxo de perder o controle com algum companheiro de profissão, empurrá-lo e seguir ileso? Praticamente impossível. Entretanto, algo que segue chamando atenção em Neymar é que seu sempre esperado crescimento comportamental parece cada vez mais distante.

Muito longe de poder ser classificado como 'menino', Neymar se perde no próprio protagonismo dentro do PSG e deveria se espelhar em Mbappé, este sete anos mais jovem, porém infinitamente mais preparado para assumir seu papel dentro e fora das quatro linhas.

Tiago Djaló também foi expulso no lance. | FRANCK FIFE/Getty Images
Tiago Djaló também foi expulso no lance. | FRANCK FIFE/Getty Images

Longe de encontrar seu meio termo entre atuações exuberantes e polêmicas instauradas, Neymar segue provando que seu ego dificilmente dará lugar ao amor pela camisa.